Publicidade

Posts com a Tag Futebol Argentino

quinta-feira, 19 de maio de 2011 AFA | 10:10

Copa Argentina: Da demagogia a democracia

Compartilhe: Twitter

“Esta (Copa Argentina) é uma idéia que vínhamos tendo desde 2005 e que agora, afortunadamente e porque a economia nos permite, podemos levar a diante”, afirmou Julio Grondona, presidente do AFA. De fato, a economia permite, pois a verba é proveniente do programa governamental Fútbol Para Todos. Mas quem não o conhece, pode até acreditar em sua boa vontade de construir um futebol argentino mais democrático, como o projeto sugere. No entanto, quem minimamente já observou suas atitudes, desconfiará sempre. Inclusive não é demais lembrar que um dia antes dele aprovar o projeto, Daniel Passarella pediu sua renuncia, fato que ganhou as manchetes da imprensa local.

Ao apresentar o projeto, Grondona disse que assim estaria pagando uma antiga dívida com o futebol do interior e o Conselho Federal. Mas por que (só) agora? Afinal, vale ressaltar que este é um ano eleitoral na AFA. Além do mais, a entidade está lançando o canal AFA TV e fará deste torneio seu principal produto. Ou seja, com tais atitudes não fica difícil entender o porquê dos seus 32 anos como mandatário da entidade maior do futebol local.

Todavia, que fique claro, gosto da idéia da Copa Argentina. Mas, para mim, ela se tornou um instrumento político na mão de Don Julio. Volta à tona sempre que lhe é conveniente – à exemplo -, ou seja, de forma sazonal e com interesses duvidosos. E qualquer semelhança com o futebol brasileiro não é pura coincidência.

Como vai funcionar:

A Copa começaria com a participação de 141 equipes de seis categorias de ascenso – Primera B Nacional, Primera B Metropolitana, Primera C e D, além das duas categorias afiliadas ao Conselho Federal: Argentino A e B. As partidas seria disputadas em jogo único e com o campo definido através de sorteios.

A partir dos 16avos de finais ingressariam as equipes da elite e as partidas seriam em sistema eliminatório de ida e volta, exceto a final, que será disputada em partida única em campo neutro. E dará vaga a Copa Sul-Americana.

O torneio seria disputado o ano inteiro, em paralelo, aos diversos torneios nacionais e internacionais. E cogita-se a hipótese do certame se iniciar ainda neste ano, com a primeira fase do início de agosto ao final de setembro. Aguardemos.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 18 de maio de 2011 Olimpo | 08:30

Céu, inferno ou purgatório?

Compartilhe: Twitter

Quando a cerca de um ano o Olimpo conquistara o título da Primera B Nacional o objetivo da equipe se mostrava bem modesto e comum às equipes recém promovidas à Primera División: se manter na elite. Entretanto, diversos objetivos simultâneos e igualmente importantes surgiram pelo caminho dos bahíenses, como, por exemplo, disputar o título e lutar contra o rebaixamento.

Jogadores festejam gol da vitória ante Boca Juniors.

Pode-se dizer que, esta situação é consequência da fraca campanha no Apertura, no qual terminou em 17º, com 39% de aproveitamento. Aliada ao confuso sistema de rebaixamento da AFA. Contudo, a necessidade de uma boa campanha no Clausura para a manutenção fez-se necessária e urgente.

Graças ao confuso sistema de rebaixamento do futebol argentino, os bahíenses estão na zona de Promoción numa intensa disputa contra a tabela de promédio. Ainda com chances de se livrar do descenso ou cair diretamente. Antes do início do torneio especulava-se que chegando aos 30 pontos estaria livre do rebaixamento. 

Todavia, em paralelo, encontra-se na quarta posição do torneio e com chances de ser campeão. Atualmente, possui 22 pontos – cinco a menos que o líder, Vélez Sarsfield. Seu aproveitamento é de 52,38%. Caso consigam tal proeza, levará de bônus a vaga para Copa Libertadores da América 2012. Nesta fecha, em especial, a equipe perdeu a oportunidade de colar no líder e sair da zona de Promoción, deixando o River Plate em seu lugar. (Uma situação semelhante vive a equipe Millionária, veremos posteriormente)

No plantel, os atacantes Néstor Bareiro, com seis gols, e Ezequiel Maggiolo, com cinco são os principais responsáveis para manter as esperanças intactas. Além deles, o arqueiro Tombolini, os meias Martín Rolle – o artilheiro da equipe na segundona -, Federico Domínguez e Juan Cobo e os defensores Nicolás Bianchi e Julio Mosset são os pilares da equipe do técnico Omar De Felippe, que estão a cinco partidas sem perder.

Enfim, aos Aurinegros, restam 450 minutos – sem contar com a possível Promoción – para saber qual final o destino lhe reservara – manutenção, descenso ou título. Ou quiçá, dois deles. Afinal, o clichê futebolístico: “cada jogo será uma final”, nunca teve tanto significado como agora. Alguém duvida?

Autor: Tags: , , , , , , ,

sábado, 14 de maio de 2011 Clássicos, Curiosidade, Superclássico | 08:00

Números e curiosidades do Superclássico

Compartilhe: Twitter

Ambos nasceram em La Boca. Primeiro, o Club Atlético River Plate, em 1901, quase quatro anos depois, surgiu o Club Atlético Boca Juniors. E apesar da proximidade o primeiro confronto demorou pouco mais de três anos após o surgimento do último. A justificativa é simples: as equipes disputavam ligas distintas e participavam de circuitos diferentes. Mas ao longo do tempo foram construindo suas histórias de conquistas e rivalidade.

Apesar da imprecisão numérica, o Superclássico foi disputado 331 vezes – entre torneios nacionais, internacionais, amistosos, Copas e a era do amadorismo -, com 123 vitórias do Boca Juniors, 102 empates e 106 vitórias do River Plate. Com 448 gols xeneizes e 403 dos millionários. No entanto, em 14 oportunidades o dérbi terminou sem gols. Saiba mais curiosidades e números abaixo:

Primeiro(s) confronto(s)

O primeiro confronto entre ambos foi no amistoso disputado no dia 2 de agosto de 1908, com vitória Xeneize por 2 a 1. Infelizmente, não há mais dados, além do placar. Na época os jornais não davam importância ao futebol. E outro amistoso foi disputado quatro anos posterior – terminou empatado em 1 a 1 -, antes da primeira partida oficial: em 24 de agosto de 1913. Este com vitória Millionária, por 2 a 1, no estádio do Racing Club. Os gols foram marcados por García e Ameal Pareyra para o River e Marcos Mayer descontou para o Boca.

Último(s) confronto(s)

Oficialmente, a última partida foi no Apertura 2010, exatamente no dia 16 de novembro, com vitória do River Plate, por 1 a 0, com gol do ex-boquense Jonathan Maidana. Entretanto, o último confronto entre as equipes foi no dia 02 de fevereiro de deste ano, pela Copa Revancha. Terminou empatado em 1 a 1, com gols de Martín Palermo para o Boca e Mariano Pavone para o River.

Maior goleada do Boca

Houve duas com o mesmo placar de 5 a 1. A primeira, em 19 de maio de 1959, em La Bombonera. Com gols de Osvaldo Nardiello, Juan José Rodríguez, José Yudica, Pedro Mansilla; D. Rodríguez marcou para os visitantes. Já a segunda goleada foi mais dolorosa, diga-se, por ter sido de virada e na casa do rival, Monumental de Núñez, no dia 07 de março de 1982. Os gols foram marcados por Oscar Ruggeri, Ricardo Gareca (2) e Carlos Córdoba (2); Jorge Tévez havia aberto o placar pelo River.

Maior goleada do River

Em 19 de outubro de 1941, no Monumental de Núñez, a equipe da casa goleou o rival, por 5 a 1. Os gols foram marcados por Ángel Labruna, José Manuel Moreno, Aristóbulo Deambrossi (2) e Adolfo Pedernera; Mario Boyé descontou.

Maiores artilheiros

O atacante argentino Ángel Labruna, do River Plate, marcou 22 gols – 16 oficiais e seis em amistosos.

O atacante brasileiro Paulo Valentim, do Boca Juniors, converteu 13 tentos – dez oficiais e três em jogos extra oficiais.

Jogadores que mais vezes atuaram no clássico

Reinaldo Merlo – 42 partidas pelo River Plate;
Hugo Gatti – 38, sendo 29 partidas pelo Boca Juniors e nove pelo River Plate;
Silvio Marzolini – 37 partidas pelo Boca Juniors;
Ángel Labruna – 35 partidas pelo River Plate;
Roberto Mouzo – 35 partidas Boca Juniors. 

Gol mais rápido

Foi em 15 de abril de 2007, na Bombonera. O meia Pablo Ledesma, do Boca Juniors, marcou aos 50 segundos, mas a partida, que era válida pelo Clausura, terminou empatada em 1 a 1.

Mais curiosidades

Alfredo Di Stefano é o único técnico que se consagrou campeão por ambas equipes. No Nacional de ’69, pelo Boca Juniors, e no Nacional ’61, pelo River Plate;

Diego Maradona marcou cinco gols em sete partidas e se despediu num Superclássico;

Noberto Alonso marcou seis gols em 25 partidas e também despediu-se no clássico;

Em 3 de fevereiro de 1974, Carlos García tornou-se o jogador que mais vezes marcou no dérbi “de La Boca” ao converter quatro gols numa partida. Neste dia o atleta estreava com a camisa xeneize. O jogo terminou 5 x 2;

Há uma lista imensa com mais de 90 jogadores que vestiram as duas camisas, só para citar alguns: Gabriel Batistuta, Claudio Caniggia, Julio César Cáceres, Lucho Figueroa, Fernando Gamboa, Ricardo Gareca, Hugo Gatti, Juan José López – atual técnico Millionário -, Julio Olarticoechea, Oscar Ruggeri, Alberto Tarantini, Jesus Méndez e Jonathan Maidana.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 13 de maio de 2011 Clausura | 14:46

Clausura, 14ª fecha

Compartilhe: Twitter

O Superclássico, entre Boca Juniors e River Plate, será jogado nesta rodada e, como não poderia ser diferente, todas as atenções estão voltadas para ele. Entretanto, com o Clausura chegando à reta final, alguns confrontos ganham muita importância como All Boys e Arsenal e Olimpo e Indep’te, ambos contra o rebaixamento.

Além de Godoy Cruz e Quilmes, em situações díspares, fazem um jogo importante para os próprios e para os demais, pois o Tomba briga pelo título e disputa a segunda posição contra os bahíenses e os de Núñez. Já os Cerveceros seguem na ingrata luta pela permanência. Enfim, abaixo segue a programação das partidas e por onde assisti-las. Caso prefiram, há também este link.

Sexta-feira (13)
19h10 Colón x Huracán
21h15 Godoy Cruz x Quilmes

Sábado (14)
14h Gimnasia y Esgrima LP x Banfield
16h10 San Lorenzo x Argentinos Juniors
18h20 All Boys x Arsenal
20h20 Racing x Newell’s Old Boys

Domingo (15)
14h Estudiantes x Tigre
16h Boca Juniors x River Plate (Esporte Interativo)
18h10 Olimpo x Independiente (Esporte Interativo)
20h20 Lanús x Vélez Sarsfield (Esporte Interativo)

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 10 de maio de 2011 B Nacional, Rosario Central | 15:35

Rosário Central: Entre a irregularidade e os números

Compartilhe: Twitter

Se há uma coisa que o Rosário Central tem prezado nestes últimos cinco anos é pela irregularidade. Irônico, mas não leviano. Vide as últimas campanhas na Primera División que culminaram no descenso da equipe. Entretanto, novamente a tal irregularidade se faz presente e deixa em dúvida o acesso dos Canallas à elite. E os números mostram isso, ainda mais do que o futebol da equipe.

Bandeira dos hinchas Canallas.

Desde o início da B Nacional os rosarinos já tiveram três técnicos. O primeiro deles foi Mostaza Merlo, que foi pouco eficiente e ficou apenas 12 partidas somando 16 pontos – quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas. Sem conseguir impor seu trabalho, renunciou. Na sequência, chegou um treinador especialista em Ascenso: Héctor Rivoira, que chegou credenciado por três promoções: Chacaritas Jrs, em 99, Instituto, em 04, e Atlético Tucumán, em 09. Entretanto, em 14 partidas conseguiu apenas 17 pontos – com cinco vitórias, dois empates e sete derrotas. Também não conseguiu impor sua metodologia e procurou novos ares.

Todavia, após duas tentativas frustradas, o presidente Noberto Speciale resolveu apostar em algo mais lúdico do que racional. Assinou com Omar Palma, ídolo Canalla, que depois da aposentadoria atuou na carreira política – de 2005 a 2009 – e está tendo sua primeira experiência como treinador de futebol. No entanto, sua ligação afetiva com o clube o credencia, ao menos, assim pensa Speciale.

Em três partidas – duas vitórias e uma derrota -, Palma revolucionou o plantel. Afastou o arqueiro Jorge Broun, o extremo Kili González e o atacante Lucho Figueroa, este último artilheiro da equipe com dez gols. Ambos por motivos de rendimento em campo. Resultado no jogo seguinte, repleto de juvenis e atletas de menor expressão: vitória, de virada, ante Chacarita Jrs. De lá para cá foram seis rodadas, nelas Central somou dez pontos – três vitórias, um empate e duas derrotas. E pela frente mais seis partidas, dessas quatro são adversários diretos e dois lutam contra rebaixamento.

Equipe sai cabisbaixa após o frustrante empate ante Instituto, na última rodada.

Nas últimas duas temporadas, o último que disputou a Promoción se classificou com 62 ou 63 pontos. Para alcançar tais números o Central necessitaria de 21 pontos, embora só tenha condições de alcançar 18, ou seja, terá de vencer todas daqui por diante e torcer por combinações de resultados. Vale salientar que este número pode ser variável.

Ao final da 32ª fecha, os rosarinos encontram-se na nona posição, com 43 pontos conquistados em 96 disputados – 12 vitórias, sete empates e 13 derrotas -, ou seja, com aproveitamento de 44,79%. Atualmente, a equipe está a seis pontos do último classificável a Promoción e um dos favoritos a vaga, Atlético Tucumán, adversário da próxima rodada, no Gigante de Arroyito. Talvez o jogo mais importante da temporada.

Portanto, se apegar a mística Canalla é algo válido, Speciale que o diga. Mas o futebol da equipe não dá esperanças para a sonhada classificação. Porém, diante dos números, deixar de lutar não é uma opção válida, mas faz-se necessário se preparar para mais uma temporada na B Nacional. Triste realidade.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 6 de maio de 2011 Clausura | 17:18

Clausura, 13ª fecha

Compartilhe: Twitter

A 13ª rodada do Clausura reserva alguns atrativos, sobretudo, na parte de baixo da tabela. Entretanto, nesta sexta-feira apenas uma partida movimentará a fecha.

As duas equipes que hoje seriam rebaixadas diretamente – Quilmes e Gimnasia y Esgrima – fazem, neste sábado um duelo interessante. Os Lobos platenses seguem em derrocada e estrearam novo técnico, já os Cerveceros em boa fase tem tudo para fazer outra vítima. Embora, os promédios neguem o valor do confronto. Na sequência, Huracán e Olimpo fazem o duelo da zona de Promoción, a vitória pode representar sobrevida.

No domingo, Estudiantes – que acabara de ser eliminado da Copa Libertadores -, Argentinos Juniors e Boca Juniors duelam no Estádio Diego Armando Maradona, com presença de Riquelme, ou melhor, com a repetição da mesma equipe do último confronto. Em seguida, River Plate e All Boys, sem Ortega por questões contratuais, se enfrentam no Monumental de Núñez. E o jogo entre os grandes – diferente de clássico -, fica por conta de Independiente e San Lorenzo.

E no fechamento da rodada, na segunda-feira, Vélez Sarsfield encara o Banfield. Após o Fortín se classificar na Libertadores, poderá ganhar gordura na liderança do Clausura. Enfim, atrativos não faltam a esta fecha da Primera División. Divirtam-se com suas mães, mas não se esqueçam de acompanhar a rodada. Caso prefiram, assistam por aqui.

Sexta-feira (06)
20h10 Newell’s Old Boys x Godoy Cruz

Sábado (07)
14h Quilmes x Gimnasia y Esgrima
16h10 Huracán x Olimpo
18h20 Tigre x Colón
20h20 Arsenal x Racing

Domingo (08)
14h Lanús x Estudiantes (Esporte Interativo)
16h Argentinos Juniors x Boca Juniors (Esporte Interativo)
18h10 River Plate x All Boys (Esporte Interativo)
20h20 Independiente x San Lorenzo

Segunda-feira (09)
20h10 Vélez Sarsfield x Banfield

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 2 de maio de 2011 Clausura | 23:42

Fecha 12: Resumo

Compartilhe: Twitter

Apesar do golaço de Palermo, foi Villafañez que roubou a cena, na Bombonera.

Grandes jogos e muitos gols – média de 3,0 por partida – movimentaram a 12ª rodada do Clausura, que terminou há pouco e não teve jogos neste domingo. Todavia, Vélez se manteve na liderança e mostra-se cada vez mais avassalador em campo. Schelotto e Palermo marcaram novamente, e Angel Cappa foi demitido. E só para constar: apenas San Lorenzo venceu como mandante.

Após desencantar na última rodada, Guillermo Barros Schelotto voltou a marcar, mas o Gimnasia y Esgrima, ainda assim, perdeu de virada para o frágil Newell’s Old Boys, que apesar da derrota segue na lanterna. Os Lobos apresentaram diversas falhas defensivas e falta de profundidade ofensiva, mas, além disso, o jogo em si foi muito fraco. O desempenho do árbitro gerou muitas reclamações da equipe platense, que aumentou a marca de partidas sem vencer, agora: seis, enquanto a Lepra rompeu a de sete jogos sem vencer. E depois de mais uma derrota, Angel Cappa foi demitido.

Tardou, mas, enfim, chegou a reação Cervecera. Na sexta, o Quilmes venceu o Banfield, por 4 a 3, após está perdendo por 3 a 2. A partida, que começou morna, foi ganhando em emoção, a partir das deficiências defensivas das duas equipes. E a figura de Miguel Caneo fez a diferença para o Quilmes, aliás, tem feito. Com o resultado a equipe de Caruso Lombardi, alcança quatro partidas sem perder, sendo três vitórias consecutivas.

A história se repetiu, mas, desta vez, ao contrário. Só para relembrar: Huracán, no último Apertura, havia ficado sem treinador e Brindisi comandou interinamente a equipe, ante San Lorenzo, e venceu por 3 a 0. Neste sábado, após a saída de Ramón Díaz, Miguel Tojo e Carlos Veglio comandaram interinamente o Ciclón na vitória por 3 a 0, contra o Globo. A partida que na primeira etapa ficou à quem das expectativas teve outro panorama após o pênalti infantil de Facundo Quiroga que foi expulso. Daí por diante só deu os Cuervos.

Millionarios comemoram o gol da vitória, ante Racing, no Cilindro.

Em meio a partidas atrativas e agitadas, All Boys e Argentinos Juniors promoveram um duelo equilibrado e sem grandes emoções. O zero a zero foi um justo placar pelo que foi o encontro. Com o resultado, o Albo somou um ponto na luta contra o descenso, enquanto que para o Bicho teve um gosto mais amargo, pois a vitória lhe proporcionaria a terceira posição.

No Cilindro de Avellaneda, Racing e River Plate fizeram uma partida muito equilibrada e cansaram de criar e desperdiçar gols. Ao menos cansou quem assistia. E numa cobrança de pênalti, Mariano Pavone marcou para os de Núñez, que souberam segurar o placar, mesmo após a expulsão de Juan Manuel Díaz nos acréscimos da primeira etapa, mas a Academia não conseguiu tirar proveito. Com o resultado, os Millionários se mantêm longe do descenso e fica na cola do líder. Enquanto, a Acadé continua oscilando pelo meio da tabela.

Arsenal foi à Mendonza, goleou o Godoy Cruz por 4 a 1 e interrompeu a sequência de sete jogos sem vitórias. O Viaducto foi superior ao Tomba durante todo o encontro e, no final, a placar pode parece exagerado, mas não injusto. Contudo, a derrota fez com que os mendocinos se distanciassem do líder e caísse uma posição.

Jogadores do Vélez festejam um dos quatro gols que marcaram no Estudiantes, no Ciudad de La Plata.

Já não há dúvidas de que o Vélez Sarsfield é atualmente a melhor equipe argentina, apesar dos tropeços. Se houver, não deveria. (Me desculpe a imposição) Neste sábado, mais uma vez apresentou um bom futebol e goleou o Estudiantes, no Estádio Único, e disparou na liderança do Clausura. O Pincha até ameaçou jogar, fez a pressão habitual dos donos da casa nos primeiros minutos, mas sucumbiu diante do Fortín. Durante a semana, ambas equipes terão partidas decisivas pela Copa Libertadores da América. No Clausura, os de Liniers segue líder isolado, enquanto, os platenses segue a cinco partidas sem vencer no torneio.

Após um domingo sem futebol, Olimpo e Tigre fizeram, em Bahía Blanca, uma partida movimentada. Os donos da casa, desde o início, foram para cima e logo aos seis minutos abriram o marcador e na tentativa de ampliar o placar começou a ceder espaços a equipe de Victoria que soube aproveitar e empatar por duas vezes o encontro. Com o resultado, os Aurinegros permaneceram na zona de Promoción, além de se manter na briga pelo título e vaga na Libertadores – e o Matador segue fora da zona de descenso.

O irregular Lanús foi à Santa Fé e bateu o Colón, que segue sem vencer em casa desde a primeira rodada. O Granate mostrou-se superior desde o início, mas só conseguiu marcar no inicio da segunda etapa, o que foi suficiente para sair vencedor e ficar a cinco pontos do líder.

Já o fechamento da rodada foi com “clássico” em La Bombonera. Boca Juniors e Independiente fizeram um duelo de tempos distintos e belos gols. Os Xeneizes foram superiores na primeira etapa e Palermo marcou um gol de letra, enquanto, o Rojo voltou do intervalo melhor, exigiu de Luchetti e chegou ao gol com um belo chute do jovem Lucas Villafañez.  O resultou foi influiu na classificação ou na tabela de promédio.

Curta 1. O eleito para assumir o cargo de Cappa, no Gimnasia y Esgrima, foi Hernán Darío Ortiz, ou Indio, como também é conhecido. Ariel Pereyra e Pablo Morant serão os auxiliares.

Confira aqui a tabela de descenso.

Resultados da rodada:

(18º) Gimnasia y Esgrima 1 x 2 Newell’s Old Boys (20º)
(8º) Banfield 3 x 4 Quilmes (17º)
(7º) San Lorenzo 3 x 0 Huracán (19º)
(16º) All Boys 0 x 0 Argentinos Juniors (6º)
(11º) Racing 0 x 1 River Plate (2º)
(3º) Godoy Cruz 1 x 4 Arsenal (15º)
(9º) Estudiantes 0 x 4 Vélez Sarsfield (1º)
(4º) Olimpo 2 x 2 Tigre (12º)
(10º) Colón 0 x 1 Lanús (5º)
(14º) Boca Juniors 1 x 1 Independiente (13º)

Veja os gols da rodada:

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 29 de abril de 2011 Clausura | 13:57

Clausura, 12ª fecha

Compartilhe: Twitter

Encontro entre ameaçados, equipes que disputam a Libertadores, embate entre os grandes – não necessariamente clássicos – e um domingo vazio. Assim será a 12ª rodada do Clausura, que começa nesta sexta-feira.

Gimnasia y Esgrima, na zona de descenso direto, e Newell’s Old Boys, lanterna, abrem a rodada. Ambos possuem marcas negativas neste torneio e veem nesta a chances de modificar o histórico.

Já no sábado, o irregular Racing, com Teo Gutiérrez, recebe o River Plate, no Cilindro de Avellaneda, em busca de reabilitação no torneio, enquanto, os Millionários seguem na briga pela liderança. Ainda neste dia, Estudiantes e Vélez Sarsfield se enfrentam. Duelo digno de Libertadores.

E, após o domingo sem futebol, a rodada se encerra na segunda-feira com Boca Juniors e Independiente.

 
Sexta-feira (29)
17h Gimnasia y Esgrima x Newell’s Old Boys
20h10 Banfield x Quilmes

Sábado (30)
14h San Lorenzo x Huracán
14h All Boys x Argentinos Juniors
16h10 Racing x River Plate (Esporte Interativo)
18h20 Godoy Cruz x Arsenal
20h20 Estudiantes x Vélez Sarsfield (Esporte Interativo)

Segunda-feira (02)
16h Olimpo x Tigre
18h10 Colón x Lanús
20h20 Boca Juniors x Independiente (Esporte Interativo)

Ou acompanhem toda 12ª rodada por aqui.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

terça-feira, 26 de abril de 2011 Clausura | 00:05

Fecha 11: Resumo

Compartilhe: Twitter

Neste Clausura, não houve outra rodada tão surpreendente como a 11ª fecha. Não apenas pelas derrotas de Vélez para o Quilmes e River para Godoy Cruz, mas pelos gols de Martín Palermo, após 952 minutos (ou dez jogos e meio), e Guillermo Barros Schelotto, 14 anos depois de voltar ao GELP. Ramón Díaz renunciou ao cargo de técnico do San Lorenzo, após mais uma derrota. A rodada teve média de 2,6 gols por partida.

Após mais um resultado negativo, San Lorenzo ficou sem técnico. Díaz renunciou.

Na abertura da rodada, uma partida equilibradamente fraca. Estreando técnico – Javier Torrente -, mas com o mesmo futebol frágil que vem praticando durante a temporada, o lanterna Newell’s Old Boys perdeu para o Banfield, com um gol de cabeça do ex-NOB – o atacante paraguaio Jorge Achucarro, numa das poucas oportunidades do jogo. Assim os Leprosos seguem em último, enquanto o Taladro em

O Independiente já não vinha de bons resultados – desclassificação na Libertadores e derrota na Clássico -, porém conseguiu abrir uma vantagem de 2 a 0, ante All Boys, que tem subido de produção. À princípio uma reabilitação, o Rojo jogava bem, entretanto, não aproveitava as oportunidades. Por sua vez, o Albo sobre aproveitar as falhas adversárias e conseguiu empatar a peleja.

O Estudiantes já não consegue ser nem sombra da equipe que foi nas últimas temporadas. No sábado, recebeu o Colón e foi superior no início, criou oportunidades, mas não as aproveitou. Enquanto isso, o Sabalero, que havia apostado nos contraataques, foi ganhando força e crescendo na partida, com destaque para a defesa e o atacante Esteban Fuertes, que marcou um dos gols da vitória, por 2 a 0. Com o resultado, o Pincha segue a quatro partidas sem vencer.

Pode-se dizer que, Vélez Sarsfield e Quilmes antes do início era uma partida cheia de clichês, vide que um é o líder, apresenta o melhor futebol e está motivado. O outro, venceu apenas uma vez no torneio – no entanto, foi na última rodada o que gera confiança -, fadado ao descenso e apresentando um futebol não dos melhores. Talvez pelo excesso de partidas ou de confiança do líder, mas o que se viu foi um resultado surpreendente, de virada, os Cerveceros bateram o Fortín, 3 a 2. Esta foi a quarta partidas em nove dias da equipe de Liniers.

Com o resultado do Vélez, River Plate necessitava de uma vitória para voltar a liderança do Clausura e até começou vencendo o Godoy Cruz. Ou seja, o Monumental estava em festa, mas o convidado se tornou indesejado. O Tomba virou, 2 a 1, em campo e na tabela, roubando a posição Millionária. E com a queda, a equipe de Núñez volta a se preocupar com os promédios.

Apesar de o empate, ante Arsenal, não ser um resultado agradável ao Gimnasia y Esgrima, que agora soma cinco partidas sem vencer e segue na zona de descenso direto, o Lobo viu seu maior ídolo recente, Guillermo Barros Schelotto, marcar novamente pela equipe após 14 anos. Do outro lado, o Viaducto, que está a sete jogos sem vencer, segue em melhor condição, mas ainda assim tem de tomar cuidado com o promédio.

Com um gol polêmico e prematuro, Tigre vence o San Lorenzo e faz Ramón Díaz renunciar. A partida se dividiu entre momentos intensos e grandes lacunas de emoções, mas o resultado persistiu por toda partida. O Ciclón está a cinco partidas sem vencer, enquanto, o Matador, apesar da vitória, continua ameaçado de rebaixamento, mas permanece fora da zona de descenso.

A equipe xeneize em peso comemorou o fim da seca Palermista.

Não foi uma partida brilhante, mas ainda assim foi uma das melhores partidas do Boca Juniors neste ano. E a equipe xeneize derrotou o Huracán, por 3 a 0, no Parque dos Patricios. Entretanto, nem o futebol e nem o resultado superaram o feito de Martín Palermo, que voltou a marcar após dez partidas oficiais. O Globo permanece na zona de Promoción.

Após ser eliminado da Libertadores, Argentinos Juniors tinha a missão de superar o Racing para não perder o líder, Vélez Sarsfield, de vista. Animado pela vitória no derbi, a Academia, começou melhor e abriu cedo o marcador, porém o descontrole da equipe proporcionou ao Bicho a virada e, consequentemente, a vitória, apesar de não ter jogado mais do que o adversário para merecer isso. Bem ao seu molde. Com o resultado, o Tifón ficou a três pontos do Fortín, enquanto, a Acadé passeia pelo meio da tabela e sem norte.

No fechamento da rodada, o Olimpo conseguiu um empate aos 44 minutos do segundo tempo, ante Lanús, que jogava melhor e, diga-se, merecia o resultado positivo. Entretanto, o empate deixou os bahíenses na zona de Promoción. Já o Granate, apesar da boa equipe, não consegue embalar.

Confira aqui a tabela de descenso, após o fechamento da rodada.

Resultados da rodada:

(20º) Newell’s Old Boys 0 x 1 Banfield (6º)  
(13º) Independiente 2 x 2 All Boys (15º)  
(7º) Estudiantes 0 x 2 Colón (8º)  
(1º)  Vélez Sarsfield 2 x 3 Quilmes (19º)  
(3º)  River Plate 1 x 2 Godoy Cruz (2º)
(16º) Arsenal 1 x 1 Gimnasia y Esgrima (17º)  
(12º) Tigre 1 x 0 San Lorenzo (11º)  
(18º) Huracán 0 x 3 Boca Juniors (14º)  
(5º) Argentinos Juniors 2 x 1 Racing (10º)
(9º) Lanús 1 x 1 Olimpo (4º)

Gols da rodada:

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 25 de abril de 2011 Clausura, Curiosidade | 14:03

Coisas de Palermo…

Compartilhe: Twitter

El optimista del gol. Alguém duvida?

Foi um gol simples daqueles que até uma criança faria. Logo, mais um entre tantos. Sem grande alarde. Seria, mas o autor conta muito para a grandeza do feito. E um tento de Martín Palermo por mais simplório que seja nunca será apenas mais um.

Já eram jogados 17 minutos do segundo tempo, faltavam apenas 38 minutos para mais um recorde. Anteriormente, algumas chances haviam sido desperdiçadas ora nas mãos de Monzón, goleiro do Huracán, ora no travessão. E apesar das diversas tentativas, o epílogo estava fadado a ser igual ao das últimas dez partidas (oficiais).

Dono de uma técnica excêntrica, digamos assim, ele pode não ser o jogador dos sonhos de muitos treinadores, mas poucos técnicos ousam negá-lo. Torcedores o veneram. Ele é incomum, místico e mítico, e ainda em atividade. Quiçá por pouco tempo, vide que já anunciou o fim da carreira. Indubitavelmente, deixará saudades.

Este foi o gol número 301 da carreira. E como já foi dito, o recorde não foi batido. Todavia, ele chegou a marca de 222 em partidas da AFA, tornando-se o sexto maior goleador do campeonato argentino na era do profissionalismo, a quatro tentos do quinto – Jose Sanfilippo. Mais uma marca histórica.

Enfim, Martín perde gols como muitos e os faz como nenhum outro. Fato. Nem mesmo o hiato de 952 minutos deteve seu otimismo. Aquele que sabiamente o Virrey enxergou e o adjetivou. Talvez por isso resolveu contrariar as expectativas e, como sempre, surpreendeu, com a gana que lhe é peculiar. Coisas de mito, ou simplesmente Palermo.

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 3
  3. 4
  4. 5
  5. 6
  6. 7
  7. Última