Publicidade

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012 Clausura | 08:00

Em meio a politicagem, Clausura começa as atividades

Compartilhe: Twitter

Poucos torneios são tão políticos quanto o argentino. Dentre vários exemplos, me utilizarei do mais recente: o campeonato argentino, que começa nesta sexta-feira, mudou de nome. De “Torneio Néstor Kirchner – Copa Malvinas Argentinas”, em 2011, – após a morte do ex-presidente Néstor – para “Primeira Divisão Cruzeiro General Belgrano” – afinal, o assunto em evidência no País é o aniversário de 30 anos da Guerra das Malvinas, aliado ao desejo portenho de retomada do território.

Este é o navio General Belgrano, que deu nome ao torneio.

Mas como assunto é futebol, vamos ao que interessa. Após o título no Apertura, Boca Juniors ganhou moral e alguns reforços pontuais, tornando-se o time a ser batido. Possui um elenco entrosado, mas ainda necessita de um goleador, visto que Santiago Silva não poderá atuar pela nacional.

Vélez Sarsfield, por sua vez, mantém o status de força emergente do futebol local, sendo visto por alguns, inclusive por este que vos escreve, como uma das grandes equipes da Argentina. Com o entrosamento e variação ofensiva, que lhe são peculiar, tem tudo para brigar pelo título.

Com já é de praxe, Estudiantes repatriou diversos atletas, sobretudo os que fizeram parte de tempos áureos: Enzo Pérez, Rodrigo Braña e Mariano Andujar. E pode-se dizer: candidatou-se ou título, mas vale lembrar que o técnico é outro. Juan Sebastián Verón ainda comanda.

Apesar do bom elenco, Racing apresentou um futebol horrendo no Apertura, ainda assim, faturou a segunda colocação do torneio. É uma incógnita. Manteve o homem problema no plantel – Teo Gutiérrez – e trouxe Alfio Basile para comandar. Agora vai rezar para que um de jeito e o outro não faça o de sempre: apronte. Acho difícil.

O Independiente apostou suas pouquissímas fichas – vide a crise financeira – no atacante Ernesto Farías para solucionar seus problemas de gols. Logo, percebe-se que no lado vermelho de Avellaneda as coisas não estão boas e ficar pelo meio da tabela já seria de bom tamanho. Neste bloco devem fazer companhia Belgrano, Argentinos Juniors, Banfield e Colón.

Talvez o Lanús tenha o elenco mais qualificado da Argentina, porém, no Apertura, não conseguiu traduzir isso em números. Agora, terá uma nova chance e eu acredito que tem totais condições de brigar pelo título, principalmente se as lesões deixarem.

San Lorenzo é o grande candidato a rebaixamento. Aposto que cairá direto, se os árbitros deixarem, é claro. Olimpo seguirá seu rumo a B Nacional. Tigre é outro sério candidato, além de All Boys, Unión, Arsenal e Newell’s Old Boys. Destes sete, dois caem direto e dois vão a repescagem. (Façam suas apostas)

O Godoy Cruz que por alguns torneios foi a surpresa fincou suas raízes entre o meio da tabela e o bloco de cima, sempre com campanhas elogiáveis e equipes modestas. Não creio que será diferente. Acredito que conseguirá alguma vaga para competições internacionais. Outra equipe que merece menção é o Atlético Rafaela, que, na minha concepção, foi a surpresa do Apertura, até mais do que o título xeneize. Começou forte e não conseguiu manter-se, acho difícil repetir a campanha, mas acredito que não fará feio.

Ou seja, a politicagem e a emoção, finalmente, estará de volta. Não se preocupem, Cristina Kirchner já foi à ONU reclamar seus direitos sobre a Ilha Malvinas, caso ela consiga algo (o que eu não acredito), em 2013, o mesmo torneio terá novo nome. Enquanto isso, a rodada segue abaixo. Enfim, acompanhe, torça e depois volte aqui para criticar e dividir sua opinião.

Sexta-feira (10)
21h15 Lanús x San Lorenzo
21h15 Boca Juniors x Olimpo

Sábado (11)
19h10 Estudiantes x Newell’s Old Boys
19h10 Belgrano X All Boys
21h15 San Martín de San Juan x Independiente

Domingo (12)
17h Atlético Rafaela x Banfield
19h10 Vélez Sarsfield x Godoy Cruz
19h10 Racing x Tigre
22h10 Argentinos Juniors x Unión

Segunda-feira (13)
22h10 Colón x Arsenal

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 Arsenal, Copa Libertadores da América, Imagem, Vélez Sarsfield | 01:04

Vélez goleia; Arsenal pressiona, mas perde

Compartilhe: Twitter

Defensores Sporting 0 x 3 Vélez Sarsfield. Embora tenha tomado as ações da partida desde o início, o Vélez só abriu o marcador aos 40 minutos do primeiro tempo, com David Ramírez. Após cobrança de escanteio, Óbolo ampliou aos 36 minutos do segundo tempo. E Sebá – aquele do Corinthians, mesmo – cobrou uma falta como nunca fez na vida (este foi o seu primeiro gol falta), colocando a bola no ângulo, aos 40 do segundo tempo, para fechar o marcador. O Fortín desde o início mostrou superioridade e solidez nas suas ações.

Fluminense 1 x 0 Arsenal. Apesar das limitações, o Arsenal apresentou um futebol convincente e não se entregou fácil. Pagou pela desatenção inicial. Sofreu o gol, de Fred, aos dois minutos de jogo, e após encaixar alguns contra-ataques tomou a iniciativa da partida pressionando os donos da casa até os minutos finais.

Leandro Euzébio, num lance lastimável, e Wagner foram expulsos pelo lado tricolor, enquanto Aguirre foi expulso pelo Viaducto. Os xeneizes agradecem.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 Copa Libertadores da América, Vélez Sarsfield | 09:30

Vélez Sarsfield quer voltar a ser Fortín

Compartilhe: Twitter

No clube desde 2009, Ricardo Gareca é um dos pontos fortes desta equipe.

O Vélez Sarsfield tem sido nos últimos anos a equipe mais regular e forte do futebol argentino. Feito este que não se repetiu no último Apertura 2011, mas ainda assim, a equipe terminou o torneio em terceiro lugar. Talvez a grande sacada do fortín foi manter a base desde 2009, quando venceu o Clausura (apesar do resultado controverso), e agregar jovens. Ademais, o ótimo Ricardo Gareca.

Difícil dizer qual o ponto forte do Vélez, visto que manter uma equipe sólida e entrosada. Marcelo Barovero um dos melhores goleiros do futebol local. Na zaga, atua com jogadores bastante experientes – e “velhos”, este é um ponto a ser explorado pelos adversários. Contudo, todos têm o espírito da Libertadores.

No meio de campo, mescla experiência e juventude. O setor mais equilibrado da equipe, diga-se. A saída de Ricky Álvarez e Maxi Moralez, na temporada passada, fez equipe cair de rendimento. O não-retorno do artilheiro Santiago Silva também frustrou os fortineros. Mas a chegada do experiente meia Federico Insúa poderá dar um ânimo ao setor.

Já no ataque, Juan Manuel Martínez, apesar do porte de pivô deverá jogar pelos flancos, como é de costume e Mauro Óbolo será o homem de referência. Ao menos até a regularização e condição de jogo do experiente atacante Lucas Pratto. Forte candidato a ocupar uma das vagas.

Contudo, se há uma equipe que tem variações ofensivas, dentre as cinco classificadas, esta é o Vélez Sarsfield, porém é precoce afirmar qual dos Vélez entrará em campo nesta Libertadores: a equipe do Apertura ou a dos últimos anos.

Grupo: Acredito que qualquer um dos dois Vélez que entrar nesta Libertadores tem condições de passar para o mata-mata. Chivas, Deportivo Quito e Defensor Sporting são bons adversários e nenhum deles é saco de pancada, porém o fortín é mais time, desde que não seja soberbo (como eu estou sendo agora).

Time base: Marcelo Barovero; Fabián Cubero, Sebastián Domínguez, Fernando Ortiz e Emiliano Papa; Augusto Fernández, Héctor Canteros (Ivan Bella), Víctor Zapata e David Ramírez (Federico Insúa); Juan Manuel Martínez e Mauro Óbolo (Lucas Pratto). Técnico: Ricardo Gareca.

Leia mais: Granate pronto para explodir
Leia mais:
De volta à Libertadores, Boca Juniors que reeditar saga vitoriosa
Leia mais: Arsenal e a missão de incomodar

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

Arsenal, Copa Libertadores da América | 09:00

Arsenal e a missão de incomodar

Compartilhe: Twitter

Córdoba, Zelaya e Carbonero comemorando um gol.

Nem nos seus melhores momentos o Arsenal de Sarandí deixou de ser uma equipe intermediária do futebol argentino. No entanto, pode incomodar bastante os que o desdenha (como eu estou fazendo agora). Afinal, a equipe já tem experiência em competições internacionais.

Leia também: Irregular no Apertura e sem goleador, Arsenal tenta surpreender

Destaco dois pontos positivos da equipe do papai Grondona. Um deles é o setor defensivo, onde atuam dois muito qualificados – Guillermo Burdisso – o irmão do Nicolás – e Lisandro López – homônimo ao atacante do Lyon, mas que também marca alguns gols. E como a equipe não possui um poderio ofensivo, a equipe aposta em contra-ataques com muita velocidade. E esta velocidade é a grande arma da equipe de Gustavo Alfaro.

As bolas paradas também podem dar dor de cabeça aos adversários, sobretudo, com a chegada dos dois zagueiros já citados.

No mais, pouco a destacar. A saída de Mauro Óbolo – para o Vélez – implicou na falta de um homem de referência. O que não é de todo mal, visto que ora a equipe joga com dois ora com três homens na frente, e tanto Zelaya, como Córdoba e Leguizamon guardam os seus.

Grupo: O Arsenal ter passado da pré-Libertadores não é surpresa alguma, mas no grupo com Boca Juniors e Fluminense não apostaria minhas fichas no Viaducto. Zamora é o mais fraco deste grupo.

Time base: Cristian Campestrini; Adrián González, Lisandro López, Guillermo Burdisso e Damián Pérez; Diego Torres (Carlos Carbonero), Iván Marcone (Luciano Leguizamon), Nicolás Aguirre e Juan Pablo Caffa; Jorge Córdoba  e Emilio Zelaya. Técnico: Gustavo Alfaro.

Leia mais: Granate pronto para explodir!
Leia mais: De volta à Libertadores, Boca Juniors quer reeditar saga vitoriosa
Leia mais:
Vélez Sarsfield quer voltar a ser Fortín

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012 No Exterior, Reflexão | 00:22

O plano de Tévez

Compartilhe: Twitter

Deturpando o dito popular: “Deus escreve certo por linhas tortas”, pode-se que Carlos Tévez está escrevendo sua história torta por linhas certas. Isto porque, em 2009, ele já havia declarado o desprazer que estava sendo jogar futebol e colocou em pauta a aposentadoria.  Ainda não se aposentou de fato, mas a carreira há tempos deixou de ser prioridade para ele.

Leia também: Carlitos, o ator principal de uma patética novela

À época, Carlitos tinha 25 anos e para alguns soou imatura a declaração. Hoje, às vésperas de completar 28 ele segue com seu plano, diga-se, patético. Não pelo objetivo (para não dizer fim), mas pelos meios. Contudo, este plano parece ter sido traçado desde que chegou ao Corinthians, tornar-se ídolo e sair pelos fundos. E assim seguiu, do West Ham ao Manchester United, dos Diabos Vermelhos ao Manchester City, e quiçá assim por diante. Convenhamos que professores não lhe faltaram.

Há quatro meses sem jogar desde que negou-se a entrar em campo pelos Citizens, ele curte seu trimestre sabático na Argentina. E que provavelmente seguirá até junho. Enquanto isso, seu nome foi ventilado pelo Milan, Inter, Paris Saint German, Corinthians e Boca Juniors. Contudo, seu procurador, Kia Joorabchian, não obteve êxito. Para completar, o diário espanhol Sport divulgou que, desde a contusão de David Villa, ele havia sido oferecido ao Barcelona por diversas vezes e descartado.

Nesta terça-feira (31), a janela de transferência européia fechou e Tévez seguiu sem um novo destino. Talvez isto faça parte do seu plano de aposentadoria gradativa (ou repentina) e com bônus, ou ônus, de perder dinheiro e prestigio. Mas não se pode negar que ele de fato tem escrito corretamente e com afinco a torta história que se propôs, embora poucos (ou ninguém) queiram vê-la. Meus pêsames.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012 Curiosidade, Imagem, Superclássico | 01:29

Superclásico concorre ao Oscar

Compartilhe: Twitter

Dos nove filmes pré-selecionados para a disputa do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, uma surpresa. Ao menos, para os amantes de futebol. Trata-se do filme dinamarquês “Superclásico”, do diretor Ole Christian Madsen, que foi filmado em grande parte na Argentina e com diversas cenas de filmadas no Superclássico entre Boca Juniors e River Plate.

A película conta a história de um dinamarquês que viaja para a Argentina com a pretensão de recuperar a mulher que ama. Ela é uma agente de futebol e se apaixona por uma estrela xeneize, o Juan Diaz, interpretado por Sebastián Estevanez. Confira abaixo um pequeno trecho da gravação no dérbi e o trailer:

A mistura cinema e futebol já mostrou o quão é fascinante. Logo, o Superclásico, que por si só é um drama nos gramados e já cativava multidões mundo afora, ganhou ares de comédia e pode levar até o Oscar. Só nos resta torcer e assistir, é claro.

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012 Barra Brava, Curiosidade, Imagem | 23:12

Barras entram no hospital para vingar morte de companheiro

Compartilhe: Twitter

Brigas internas de barrabravas ganharam mais um capítulo triste na história do futebol argentino. Um torcedor foi assassinado numa briga entre duas facções rivais do Nueva Chicago, nesta tarde, no bairro de Mataderos, em Buenos Aires.

Agustín Rodríguez, de 27 anos, fazia parte do grupo Los Perales e foi agredido com chute e pauladas até a morte por torcedores do grupo Los Antenas. Contudo, enquanto um dos supostos agressores estava sendo operado no hospital Santojanni, companheiros do jovem assassinado invadiu o hospital para vingar sua morte. Confira o vídeo:

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

Boca Juniors | 22:38

Santiago Silva: poste ou tanque?

Compartilhe: Twitter

Após firmar contrato por três temporadas, Silva foi apresentado na Bombonera e viajou para Tandil, onde o grupo faz pré-temporada.

“Minha forma de jogar encaixa perfeito no Boca [Juniors]”, afirmou o atacante uruguaio Santiago Silva, ao chegar ao clube com o respaldo do treinador, Julio César Falcione, e, sobretudo, do maior artilheiro xeneize de todos os tempos, Martín Palermo. Afinal, foi duas vezes campeão argentino, por Banfield ’09 e Vélez Sarsfield ’11, e duas vezes artilheiro.

Logo, com credenciais para a vaga em aberto, diga-se. No entanto, ele terá poucas oportunidades para fazer jus as suas palavras, visto que no primeiro semestre só poderá atuar Copa Libertadores da América, segundo determinações da Fifa. Mas, ainda assim, pode-se dizer que é um reforço. O atleta foi adquirido por 2,5 milhões de euros e assinou contrato por três temporadas. 

Apesar do título do Apertura, o ataque xeneize foi a maior deficiência da equipe de Falcione. Muitos passaram pelo setor e nenhum deixou saudade, apenas poucos gols. Como o intuito é volta a ser temido, o clube necessita bem mais do que apostar num frágil Juan Román Riquelme com suas bolas paradas e num ataque que marca gols esporadicamente.

Embora a passagem do uruguaio pela Fiorentina não tenha deixado saudades tampouco a estadia no Parque São Jorge, Silva é um atacante de referência e goleador, a julgar pelas últimas temporadas no futebol argentino. Se em alguns países ele não passou de um poste, em terras portenhas ele tornou-se o Tanque. E se se mantiver assim, os boquenses agradecerão.

Pablo Ledesma – Dado como certo em La Bombonera há semanas, o meia ainda não assinou com o Boca Juniors. Segundo Falcione, o entrave é a questão financeira. No entanto, o clube espera o anunciar ainda nesta semana. Seria outra ótima aquisição.

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 Lionel Messi, No Exterior, Reflexão | 22:28

Mais uma Bola de Ouro para coleção de Messi

Compartilhe: Twitter

Messi pela terceira vez seguida é eleito o Melhor do Ano pela Fifa. Mas isso não é nada.

Classificar Lionel Messi como um jogador a frente do seu tempo parece óbvio, mas inevitável. O argentino conquistou, nesta segunda-feira, mais um triplete na carreira, desta vez, ao ganhar pela terceira vez consecutiva a Bola de Ouro da Fifa – 2009, 2010 e 2011 – e ratificou seu nome na história.

Ainda assim muitos o desmerecerão. Alguns, pelo simples fato dele ser argentino, outros por não ser brasileiro, diga-se, este é um fardo que muitos carregam. Afinal, os que vivem do futebol além-fronteira precisam aprender muito conosco, não é verdade?

Em terras tupiniquins, por exemplo, temos craques sensacionais do quilate de Neymar e Ganso, que ganharam tudo que disputaram com louvor, nunca amarelaram quando colocados em check e melhor: são super humildes. Enfim, tendo tais estrelas para quê este tal de Messi, né?

Imagino que, muitos enquanto leem este texto devem estar pensando: “Mas ele não é melhor do que Pelé”. E antes que vocês, que se questionam sobre tal coisa, fiquem preocupados, gostaria de avisar que não tenho a pretensão de compará-lo a Dios, tampouco ao Rei. Afinal, ele não marcou mais de mil gols ou venceu uma Copa sozinho. E se um dia ainda o fizer, não será melhor do que tais, pois já está incrustado no imaginário coletivo quem são os melhores. Quiçá, Lio pagará o preço de muitos o terem visto jogar.

Aos 24 anos, no alto dos seus 1,69 cm não sabe marcar gols de cabeça e só sabe chutar com o pé esquerdo. Logo, subentende-se que gols não são seu forte: na temporada 2011 foram 58 gols em 68 partidas. Ao menos, assistências ele sabe fazer, ao todo, foram 28. Uma ilusão, diria.

Na sua ainda curta carreira foram cerca de 20 títulos oficiais por equipes, sendo só dois com a Seleção da Argentina, um Sub 20 e um mísero título Olímpico. Este que qualquer jogador brasileiro tem no currículo. Os torcedores então estão cansados de comemorarem. Talvez por isso tanto desdém.

Esta foi apenas a terceira Bola de Ouro da Fifa, que ele ganhou. Ademais, já conquistou prêmio como Melhor Jogador da Europa, Chuteira de Ouro da Uefa, Maior goleador da história da Supercopa da Espanha, Patrimônio Esportivo da Humanidade, dentre outros, que qualquer jogador já conquistou. Contudo, este garoto ainda tem que comer muito feijão com arroz para se tornar um Messi.

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012 No Exterior | 21:16

Um biênio sabático e outro de desafios

Compartilhe: Twitter

Zé Pekerman apontando o caminho...

Após o hiato de dois anos sem dirigir uma equipe e quase seis sem estar à frente de uma Seleção, o argentino José Néstor Pekerman voltará ao seu habitat. Desta vez, no comando da Seleção da Colômbia, substituindo Leonel Álvarez. Quando assinar o contrato, ele se tornará o sexto treinador argentino a comandar os Cafeteros na história, o último havia sido seu compatriota Carlos Bilardo, em 1981.

Na verdade, o namoro entre Zé Pekerman e Seleção da Colômbia começou desde agosto de 2011, quando a Federação Colombiana de Futebol (Colfutbol), despediu Hernán Darío Goméz. No entanto, a Federação acabou optando por Leonel Álvarez, até então, auxiliar de Bolillo Goméz. Com a demissão de Álvarez em dezembro, o biênio sabático de Pekerman deu lugar a novos desafios. Contudo, antes de aceitar o convite já havia negado diversos outros – Boca Juniors, Bordeux, Sporting, Chile e Japão, só para citar alguns.

Conhecido por valorizar a base dos clubes e seleções por onde passou, o treinador terá dois objetivos à frente da Colômbia: classificar os Cafeteros ao Mundial 2014, no Brasil, e desenvolver as categorias de base em um biênio. O primeiro é o mais importante, segundo Luis Bedoya, presidente da Colfutbol. Diga-se, e o mais árduo, também.

A ligação dele com o futebol colombiano vem desde os tempos de futebolista. O então volante defendeu o Independiente de Medellín entre 1975 e 1987, quando teve de encerrar precocemente a carreira, aos 28 anos, por causa de uma lesão no joelho. Aliás, ele atou apenas por duas equipes enquanto jogador, a outra havia sido Argentinos Juniors, de 1970 a 1974.

Com as atenções voltadas à Colômbia, o selecionador terá em mãos jogadores qualificados, sobretudo, no sistema ofensivo. Entretanto, terá de reciclar o sistema defensivo. Atualmente, a Seleção tem uma média de idade de 26 anos e nomes de peso no ataque, como Radamel García Falcao, Teo Gutiérrez, Gio Moreno, James Rodríguez e Freddy Guarín. E jogadores mais envelhecidos no sistema defensivo, como Mario Yepes, Luis Perea e Elkin Soto, com média de 31 anos.

Vale ressaltar que as Subs 17 e 20 não fizeram boas campanhas nos Sul-Americanos em 2011. Talvez por isso, a chegada do argentino foi comemorada pelos treinadores das respectivas seleções, afinal, Pekerman é sinônimo de categorias de base.

Credencial e capacidade o selecionador tricampeão com a Argentina Sub 20 já demonstrou que têm, mas talvez reestruturar uma Seleção e levá-la à Copa num biênio seja o maior desafio de sua carreira. Ainda assim, este namoro tem tudo para ser feliz.

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. 20
  9. 30
  10. Última