Publicidade

Arquivo da Categoria Rosario Central

terça-feira, 10 de maio de 2011 B Nacional, Rosario Central | 15:35

Rosário Central: Entre a irregularidade e os números

Compartilhe: Twitter

Se há uma coisa que o Rosário Central tem prezado nestes últimos cinco anos é pela irregularidade. Irônico, mas não leviano. Vide as últimas campanhas na Primera División que culminaram no descenso da equipe. Entretanto, novamente a tal irregularidade se faz presente e deixa em dúvida o acesso dos Canallas à elite. E os números mostram isso, ainda mais do que o futebol da equipe.

Bandeira dos hinchas Canallas.

Desde o início da B Nacional os rosarinos já tiveram três técnicos. O primeiro deles foi Mostaza Merlo, que foi pouco eficiente e ficou apenas 12 partidas somando 16 pontos – quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas. Sem conseguir impor seu trabalho, renunciou. Na sequência, chegou um treinador especialista em Ascenso: Héctor Rivoira, que chegou credenciado por três promoções: Chacaritas Jrs, em 99, Instituto, em 04, e Atlético Tucumán, em 09. Entretanto, em 14 partidas conseguiu apenas 17 pontos – com cinco vitórias, dois empates e sete derrotas. Também não conseguiu impor sua metodologia e procurou novos ares.

Todavia, após duas tentativas frustradas, o presidente Noberto Speciale resolveu apostar em algo mais lúdico do que racional. Assinou com Omar Palma, ídolo Canalla, que depois da aposentadoria atuou na carreira política – de 2005 a 2009 – e está tendo sua primeira experiência como treinador de futebol. No entanto, sua ligação afetiva com o clube o credencia, ao menos, assim pensa Speciale.

Em três partidas – duas vitórias e uma derrota -, Palma revolucionou o plantel. Afastou o arqueiro Jorge Broun, o extremo Kili González e o atacante Lucho Figueroa, este último artilheiro da equipe com dez gols. Ambos por motivos de rendimento em campo. Resultado no jogo seguinte, repleto de juvenis e atletas de menor expressão: vitória, de virada, ante Chacarita Jrs. De lá para cá foram seis rodadas, nelas Central somou dez pontos – três vitórias, um empate e duas derrotas. E pela frente mais seis partidas, dessas quatro são adversários diretos e dois lutam contra rebaixamento.

Equipe sai cabisbaixa após o frustrante empate ante Instituto, na última rodada.

Nas últimas duas temporadas, o último que disputou a Promoción se classificou com 62 ou 63 pontos. Para alcançar tais números o Central necessitaria de 21 pontos, embora só tenha condições de alcançar 18, ou seja, terá de vencer todas daqui por diante e torcer por combinações de resultados. Vale salientar que este número pode ser variável.

Ao final da 32ª fecha, os rosarinos encontram-se na nona posição, com 43 pontos conquistados em 96 disputados – 12 vitórias, sete empates e 13 derrotas -, ou seja, com aproveitamento de 44,79%. Atualmente, a equipe está a seis pontos do último classificável a Promoción e um dos favoritos a vaga, Atlético Tucumán, adversário da próxima rodada, no Gigante de Arroyito. Talvez o jogo mais importante da temporada.

Portanto, se apegar a mística Canalla é algo válido, Speciale que o diga. Mas o futebol da equipe não dá esperanças para a sonhada classificação. Porém, diante dos números, deixar de lutar não é uma opção válida, mas faz-se necessário se preparar para mais uma temporada na B Nacional. Triste realidade.

Autor: Tags: , , , , ,