Publicidade

Arquivo da Categoria Clausura

sábado, 23 de abril de 2011 Clausura | 08:00

Clausura, 11ª fecha

Compartilhe: Twitter

É feriado. E por isso a 11ª rodada do Clausura começará apenas no sábado, e não na sexta-feira como de costume. Contudo, na partida atrasada da sexta fecha disputada na última quarta-feira, Vélez Sarsfield venceu o San Lorenzo e assumiu a liderança e, nesta rodada, não poderá ser superado nem mesmo pelo River Plate, no máximo dividir o posto.

O Fortín encara o quase rebaixado e, agora, animado Quilmes que venceu a primeira partida no torneio na última rodada. Enquanto isso, os Millionários enfrentam o Godoy Cruz, eliminado da Libertadores e postulante ao título da peleja. Já no domingo, o ameaçado Huracán recebe o irregular Boca Juniors.

Sábado (23)
14h Newell’s Old Boys x Banfield
16h10 Independiente x All Boys
17h10 Estudiantes x Colón
18h20 Vélez Sarsfield x Quilmes (Esporte Interativo)
19h15 River Plate x Godoy Cruz (Esporte Interativo)

Domingo (24)
14h Arsenal x Gimnasia y Esgrima
16h Tigre x San Lorenzo
18h Huracán x Boca Juniors (Esporte Interativo)
20h15 Argentinos Juniors x Racing

Segunda-feira (25)
20h10 Lanús x Olimpo

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 21 de abril de 2011 Argentinos Jrs, Clausura, Copa Libertadores da América, San Lorenzo, Seleção, Vélez Sarsfield | 00:34

Três partidas e algumas observações…

Compartilhe: Twitter

Três partidas  movimentaram o futebol argentino na noite de ontem. A apresentação apática da Argentina no amistoso, ante Equador, a vitória do Vélez Sarsfield sobre o San Lorenzo, na partida adiada por causa da violência, e da desclassificação do Argentinos Juniors, na Copa Libertadores da América.  Então, seguem abaixo algumas observações sobre cada partida.

Batista segue desagradando.

A Seleção de Batista. Confesso que nem sempre acho isso, mas ultimamente tem sido de um esforço quase sobrecomum assistir a Seleção de Sergio Batista jogar. Isso, mesmo. Pois, Argentina é outra coisa. Desta vez, os locais, por assim dizer, empataram em 2 a 2 com o Equador. E tudo que se viu, ou nada, foi uma equipe sem graça, sem identidade. Sem a argentinidade.

Entretanto, a titulo de curiosidade, vale observar que, os dois gols argentos foram marcados por jogadores do Racing: Claudio Yacob – que posteriormente saiu lesionado e preocupa a equipe de Avellaneda – e Gabriel Hauche. Estes foram os primeiros gols de ambos no selecionado nacional.

Ao término do encontrou, Batista disse: “Sempre tiro experiências positivas destas partidas”. Quiçá seja verdade. Mas nunca põe em prática.

 

Um final lmentável.

Acabou. Poderia iniciar escrevendo sobre o quão deprimente foi a confusão pós-desclassificação, e não vou omitir, mas primeiro gostaria de salientar algo que já foi dito por este colunista que vos escreve: Argentinos Juniors é uma daquelas equipes que não jogam bem, mas quase sempre vencem. Desta vez, a (i)lógica se inverteu, parcialmente. Ou seja, jogou mal e perdeu. Foi-se classificação as oitavas de finais, foi-se a hombridade. Enquanto o Fluminense mostrava superioridade, o Bicho se encolhia e, digamos assim, recolhia sua questionável grandeza. É louvável e precisa ser dito, apesar de mau como sempre, a equipe tentou dentro de sua vasta limitação, mas tentou. Não merece ser condenado pelo que não fez em campo, mas sim ao que proporcionou depois. Vale dizer, também, que não brigou só. E aos que pensam que isto é coisa de argentino ou uruguaio, não se esqueçam de olhar para o próprio umbigo. Lamentável.  

Tristes daqueles que o veem com desdém.

A partida que faltava. Antes de qualquer notícia, uma observação: jogos com portões fechados são deprimentes! Mas foi assim que o Vélez Sarsfield derrotou o San Lorenzo, por 2 a 0, na Bombonera. A partida, que havia sido adiada por causa da violência, foi válida pela sexta fecha. E com a vitória, que nasceu dos pés de Santiago Silva e Augusto Fernández – que entrou só para marcar -, o Fortín se tornou líder do Clausura, com 21 pontos. Seguido por River Plate, com 19, Olimpo, Estudiantes e Godoy Cruz, ambos com 17.

E para finalizar, outra observação: Não pela liderança, muito menos pela partida, mas atualmente o Vélez Sarsfield é a melhor equipe argentina. Sua funcionalidade e seu protagonismos são vistos em poucas equipes. Segurança na defesa, criatividade no meio de campo, sobretudo, com Maxi Moralez e Juan Manuel Martínez, além do suporte defensivo de Zapata e precisão no ataque, lê-se, Santiago el Tanque Silva, lembram dele? Enfim, aos que desdenham – Silva e ao time: cuidado.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

segunda-feira, 18 de abril de 2011 Clausura | 23:37

Fecha 10: Resumo

Compartilhe: Twitter

Uma rodada cheia de surpresas. Assim foi a décima fecha do Clausura, com direito a primeira vitória Cervecera no certame, a queda do último invicto e a quebra de hiato de seis anos e 11 partida sem vencer o rival no Clássico de Avellaneda. Além, é claro, das coisas quase rotineiras, como a seca de gols Palermista, o futebol horrendo do River Plate e do Boca Juniors. A média de gols foi de 2,6 por partida, e Denis Stracqualursi, após converter o triplete no Boca, tornou-se o artilheiro do torneio.  

Festa Racinguista no Clássico de Avellaneda.

Na abertura da rodada, uma partida de equipes desesperadas. O, até então, lanterna Quilmes derrotou o vice-lanterna Newell’s Old Boys, por 3 a 1, conseguindo assim a primeira vitória no Clausura e, de quebra, inverteu a posição. Embora, no promédio segue em último e com pouquíssimas chances de se manter na Primera. Bernardo Romeo marcou o doblete que possibilitou a quebra de jejum dos Cerveceros, que foi melhor na partida. A Lepra segue sem rumo e sem técnico. (Confira a tabela de descenso)

O treinador Ramón Dias mandou o San Lorenzo a campo com três atacantes. Logo, a idéia ofensiva paira sobre a imaginação alheia. E de fato foi. Porém falta sempre lembrar que faz-se necessário pontaria. Assim como falta ao Ciclón rememorar boas partidas. Ante Lanús o empate foi o reflexo de duas equipes que iludem os aficcionados. Falta de identidade e irregularidade são as tônicas das equipes.

No jogo mais aguardado da rodada: Racing derrotou o Independiente, no clássico de Avellaneda. A Academia foi superior ao Rojo durante boa parte do jogo e, apesar de desperdiçar diversas oportunidades, conseguiu converter dois gols. O colombiano Teo Gutiérrez, além de melhor em campo, marcou o segundo gol blanquiceleste. Com a vitória, a equipe conseguiu quebra um hiato de 11 jogos sem vencer o rival.

Um “jogo de seis pontos” e, apesar do lugar comum, não há outra expressão que melhor defina: All Boys e Huracán. Principalmente, na Argentina e suas diversas tabelas. Contudo, dizer que foi o dia de Fabbiani – que não marcava desde agosto de 2009 – também é batido, mas seria o título mais próprio. Com o doblete do Ogro, o Albo derrotou o Globo, que permanece na zona de Promoción. Os de Floresta estão fora da zona de descenso.

Francamente, Godoy Cruz e Argentinos Juniors são duas equipes que aguçam meu imaginário, por um motivo, digamos, incomum, porém comum a ambos. Desculpe a generalização, mas costumeiramente vencem suas partidas sem jogar um futebol digno de merecê-las, ao menos, a maioria deles. Dizer que um empate seria algo justo por tudo, quase nada, que apresentam não seria de todo equivocado, mas o Tomba aprontou, foi um pouco superior ao rival e o derrotou. E assim caiu o último invicto do torneio.

Uma partida interessante, mas com resultado desinteressante – só para aproveitar o adjetivo – tanto para o atual campeão e postulante a manter o título, Estudiantes, quanto para a sensação do Clausura e candidato ao “caneco”, Olimpo. Apesar de equilibrado, os bahíenses em certos momentos foram mais ativos do que os platenses, mas não traduziram em gols.

Riquelme marcou um, mas viu Stracqualursi marcar três.

Após está perdendo por 2 a 0, Boca Juniors “se recupera” e empata em 3 a 3, com o Tigre, ou Stracqualursi, que saíram com gosto amargo. Contudo, o resultado proporcionou algumas constatações: o Boca consegue ser duas equipes numa mesma partida – oscila como poucas; a defesa é deprimente; Riquelme ainda é “o cara” deste time, mas só não consegue fazer nada; e Falcione precisa, dentre outras coisas, rever seus conceitos sobre Palermo, que segue sem marcar. Outra observação que deve ser feita é a de que Stracqualursi é um goleador nato, não pelo triplete, mas por tudo que vem fazendo desde a última temporada. Dizer que ele vale por meio time de Victoria não é algo exagerado.

Apenas um acidente de percurso. Assim defino a empate entre Vélez Sarsfield e Colón. O Fortín é forte candidato ao título e já encontrou o melhor entrosamento. Por cansaço ou ausência do Burrito Martínez a equipe não foi a mesma, entretanto, conseguiu empatar a partida e sair com um ponto. Assim a equipe segue a um ponto do líder, River Plate. Já o Sabalero, dirigido por Mario Sciaqua, talvez por isso os ânimos estavam aflorados e a equipe conseguiu apresentar um futebol melhor do que o que tem sido habitual.

De todos os empates de domingos – vale observar que todos os jogos de ontem terminaram empatados –, certamente, River Plate e Gimnasia y Esgrima foi o mais chato. Na verdade, os Millionários têm se especializado nisso, apesar de ser o líder do torneio. É fato que o gramado não estava em condições adequadas, mas faltou também duas equipes em campo. Embora dois dados mereçam ser mencionados: os últimos seis encontros entre as equipes terminaram empatados; e com a entrada de Schelotto e Méndez, no segundo tempo, o Lobo passou a atuar com os onze atletas provenientes das canteras do clube.

E no fechamento da rodada… Não foi uma partida que encheu os olhos, mas ainda assim teve sua graça. O primeiro tempo foi equilibrado com chances reais para os dois lados, mas o placar permaneceu em branco. Porém, o Banfield converteu o único gol do jogo e conseguiu segurar o Arsenal. Com o resultado, o Taladro está a quatro pontos do líder.

Curta 1. Hoje pela manhã o novo técnico do Newell’s Old Boys, Javier Torrente, foi apresentado ao clube, que atualmente encontra-se na lanterna da competição. Torrente, ex-auxiliar de Marcelo Bielsa, foi indicado pelo Loco, após o mesmo recusar a proposta.

Curta 2. Agora é oficial. A partida adiada entre Vélez Sarsfield e San Lorenzo, por causa da violência, será disputada quarta-feira (20), às 17h, na Bombonera. Serão jogados dois tempos de 41 minutos com portões fechados.

Resultados da rodada:

(19º) Quilmes 3 x 1 Newell’s Old Boys (20º)
(7º)San Lorenzo 1 x 1 Lanús (8º)  
(6º) Racing 2 x 0 Independiente (12º)  
 (16º) All Boys 3 x 1 Huracán (14º)
(5º) Godoy Cruz 1 x 0 Argentinos Juniors (9º)
(3º) Olimpo 2 x 2 Estudiantes (4º)  
(15º) Boca Juniors 3 x 3 Tigre (13º)
(11º) Colón 1 x 1 Vélez Sarsfield (2º)
(18º) Gimnasia y Esgrima 0 x 0 River Plate (1º)  
(10º) Banfield 1 x 0 Arsenal (17º)

Confira os gols da rodada:

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 16 de abril de 2011 Clássicos, Clausura, Independiente, Racing | 19:34

Quando o medo de ganhar faz perder…

Compartilhe: Twitter

Seis anos e 12 partidas depois, Racing volta a vencer o Clássico de Avellaneda. Mas, ainda assim, passei dez minutos após o jogo pensando em algo que à princípio parecia simples: “clássico é complicado” por excesso de respeito ou por falta de coragem? Vamos ao derbi.

Hauche comemora o primeiro gol do Racing, junto a torcida.

A partida no Cilindro de Avellaneda começou frenética e talvez por isso criou-se um ilusão de que algo bom estava por vir. E veio, para os torcedores blanquicelestes. Mas apesar da animação inicial a partida foi perdendo graça. E situações chatas e repetitivas se faziam presentes, como o desorganizado Independiente apostando nos erros do Racing e na própria sorte. Por sua vez, o Racing explorava única e exclusivamente (e quase excludente) o lado direito do ataque.

E dos 25 minutos em diante da primeira etapa a partida já não era sombra do que foi até os 20 minutos. Mas foi através destas situações que o primeiro gol Racinguista chegou. Indep’te deu espaço e não soube marcar, o meia Toranzo lançou, Teo Gutiérrez matou no peito e deixou para Hauche que entrava na área, bater por cima do arqueiro Assmann, aos 44.

Com o intervalo, se fez presente apenas o hiato. A vaga filosofia de jogo de ambas equipes voltaram a campo. Porém, ao invés de ver o Racing melhor, se viu o Rojo pior. Assistiu, fingiu que “estudou” e deu espaço ao adversário que sobrava em campo, e perdia gols com o mesmo afinco que os criavam. A figura de Assmann ganhava destaque por demérito da própria equipe.

E quando todos, é todos, aguardavam o final da partida, eis que surge novamente a figura do colombiano Teófilo Gutiérrez, que precisou tentar duas vezes para superar o goleiro e dar números finais ao Clássico. Melhor para a metade azul de Avellaneda, que venceu por 2 a 0.

O Rojo vinha de cinco jogos sem perder no Clausura e 11 do arquirrival, portanto, ligeiro favorito. Mas como diz o outro: “clássico é clássico e vice-versa”, logo, se contentou com o decepcionante papel de coadjuvante. Enquanto isso, o Racing vinha de quatro jogos sem vencer no torneio, e se aproveitou do mesmo lema e de um adversário inerte. Todavia, não obtive respostas. Nem mesmo o tempo que dediquei assistindo ao jogo, divagando e escrevendo o texto me foi suficiente para entender essa relação conflituosa com o medo de ganhar. Quiçá numa próxima partida…

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 15 de abril de 2011 Clássicos, Clausura | 19:24

Clausura, 10ª Fecha: Clássico de Avellaneda

Compartilhe: Twitter

Amanhã, Racing e Independiente disputam o confronto mais importante desta décima rodada do Clausura. E apesar de estarem em situações, digamos assim, desconfortáveis, a pa

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

segunda-feira, 11 de abril de 2011 Clausura, Curiosidade | 18:00

O mito e os recordes

Compartilhe: Twitter

Mito, só isso.

Sob aplausos da torcida xeneize, Martín Palermo deixou o gramado para entrada de Lucas Viatri, aos 19 minutos do segundo tempo. Neste instante, somavam-se em sua conta particular 813 minutos sem marcar, o equivalente a nove partidas. O pior hiato de gols de sua trajetória no Boca Juniors. Entretanto, se avizinha do maior recorde negativo de sua carreira: 989 minutos, ainda na época do Estudiantes. E se tratando de recordes, certamente, há poucos iguais a ele.

O último tento oficial do atacante foi marcado ainda na temporada passada, precisamente, na última rodada do Apertura, no empate em 1 a 1, ante Gimnasia y Esgrima de La Plata, aos cinco minutos do primeiro tempo. Observar que faltam apenas duas rodadas para quebrar seu próprio recorde negativo, o que seria diante do Huracán, na 11ª. Todavia, negativo ou positivo, pouco importa, este é o-homem-dos-recordes-batidos. 

Mítico. É a palavra que melhor define o goleador boquense, que sempre dividiu as opiniões. Principalmente, depois de perder três pênaltis na mesma partida pela Argentina, ante Colômbia, pela Copa América 1999. E de presente foi parar no Livro dos Recordes.

Palermo é o maior artilheiro da história xeneize.

Dez anos depois, voltou ao Livro dos Recordes, porém desta vez com algo digno de orgulho. Marcou um gol de cabeça a 39 metros do gol, ante Vélez Sarsfield, em outubro de 2009. No ano seguinte, de baixo de chuva e neblina, marcou aos 46 minutos do segundo tempo, o gol que manteve acessa a esperança de classificação Albiceleste para a Copa do Mundo 2010, ante Perú. Da imprensa ganhou o apelido de San Palermo e de Maradona a vaga dentre os selecionados para o Mundial.

Durante a Copa, el optismista del gol, como sabiamente o definiu Carlos Bianchi, só atuou alguns minutos, mas foi o suficiente para quebrar outro recorde: o estreante mais velho – à época, 36 anos – a marcar numa Copa, além de ser o futebolista mais velho a marcar numa Copa. Este na vitória Celeste y Blanca sobre a Grécia. Parafraseando um sábio: “Palermo é Palermo e vice-versa”. 

Alvo constante de idolatria e dúvida, Martín possui um jeito tosco, por assim dizer, de cumprir com suas obrigações que, diga-se, é marcar gols. Dono de um estilo de jogo peculiar, ele tornou-se o maior goleador xeneize da história: 230 gols. E afirmou e reafirmou que este será seu último torneio e posteriormente se tornará treinador. Deixará saudades, seja pelos gols, pelos hiatos dos mesmos ou pelo que sabe fazer de melhor quebra recordes. E que ninguém duvide de sua capacidade, faltam-lhe apenas duas rodadas para quebrar mais um. Afinal, este é o mito Palermo.

Autor: Tags: , , ,

Clausura | 00:34

Fecha 9: Resumo

Compartilhe: Twitter

Com duas quedas de técnicos, mais minutos somados na conta de Palermo, menor média de gols: 1,7 por partida, terminou a nona rodada do Clausura. Entretanto, River Plate, apesar do futebol que tem apresentado, é o líder, Estudiantes, que empatou em casa, caiu três posições e o Quilmes que esteve bem perto da sua primeira vitória, a deixou escapar.

Após perder por dois gols, Falcione achava que o jogo deveria ser zero a zero.

Na abertura da rodada, Estudiantes teve mais volume de jogo, porém faltava-lhe variações ofensivas. As melhores chances da equipe platense surgiram de bolas paradas e ainda teve um gol bem anulado. Do outro lado, o San Lorenzo mostrava-se satisfeito com o empate, tentava segurar o adversário e não tinha consistência no ataque. Portanto, o placar de zero a zero não foi de todo mal para o Ciclón que buscava tal resultado, mas para o Pincha foi, pois possibilitou o River Plate de assumir a liderança do torneio.

Já era sabido que o Independiente priorizava o Clausura, em detrimento da Copa Libertadores, mas esperava melhores resultados no torneio continental, porém eles não vieram. Assim a pressão sobre a equipe, que na próxima rodada jogará o Clássico de Avellaneda, aumentou e com isso deu mais estimulo. Pior para o Godoy Cruz, que perdeu por 3 a 0. O Tomba mostrou-se sem muitas ferramentas, ainda que seja um time voluntarioso.

O Olimpo conseguiu uma importante vitória, em Santa Fé, ante Colón. Pois proporcionou aos bahíenses encostar no líder e sair da zona de Promoción de uma vez só, embora o caminho seja longo. Por sua vez, aos Sabaleros seguem sem jogar um futebol convincente, e agora sem técnico. Após a derrota, Fernando Gamboa foi demitido.

Ante Arsenal, em Sarandí, Quilmes parecia que alcançaria a primeira vitória no torneio, após nove rodadas. Mas aos 45 minutos do segundo tempo, Leguizamón empatou o confronto e deixou o técnico Caruso Lombardi sem acreditar no que via. Os Cerveceros estão na lanterna do torneio e da tabela de descenso. Já o Viaducto começa a se preocupar com os promédios.

O zero a zero entre Huracán e Racing teve um gosto amargo para ambas equipes. Enquanto o Globo retornou a tão indesejada zona de Promoción, a Academia deu sequência a marca de quatro partidas sem vencer. As melhores chances da partida foram criadas na primeira etapa, com direito a três gol anulados por impedimento – dois do Huracán e um do Racing. Já no segundo tempo a partida foi bem fraca e o placar refletiu bem.

Autor do gol da vitória Millionária, Pavone é um dos jogadores chave do líder.

Com bom desempenho de Carrizo – pode-se dizer, o melhor goleiro da Argentina -, Almeyda, Lamela e Pavone, o River Plate derrotou o Banfield e alcançou a liderança isolada do Clausura. Após um primeiro tempo bem equilibrado, o Taladro voltou para a segunda etapa relaxado dando espaços a equipe de Núñez, que conseguiu marcar aos 24 minutos com Pavone. Depois de sofrer o gol, os visitantes voltaram a pressionar, porém sem êxito. Melhor para os Millinários que obteve uma importante vitória, que agora lhe permite desfrutar da liderança e um alivio maior nos promédios, ainda que siga ameaçado.

Apesar de invicto, Argentinos Juniors ainda deve o bom futebol e começa a dar sinais de desgaste pelo intenso ritmo de jogos. Hoje, o necessitado Gimnasia y Esgrima começou melhor, abriu o marcador, aos 25 minutos do primeiro tempo, e depois deu espaço ao Bicho, que empatou quatro minutos depois. Na segunda etapa, o jogo ficou muito aberto e os goleiros que foram os protagonistas. O resultado foi péssimo para o Lobo que segue na zona de descenso direto e não consegue mostrar reação.

Quando (quase) todos acreditavam que o Boca Juniors embalaria, eis que as coisas voltam ao normal, e a equipe mostra toda sua irregularidade. A derrota para o Lanús, por consequência natural, deverá o time rever alguns conceitos. A equipe Xeneize não conseguiu mostrar um jogo consistente, errou bastante jogadas e não representou muitos perigos a meta Granate, que muito por inércia Boquense, se impôs. E pode-se dizer que o meia Granate Diego Valeri é uma das coisas boas deste Clausura. Ao deixar o campo aos 20 minutos do segundo tempo, Palermo somou 813 minutos sem marcar.

Tigre e All Boys fizeram um duelo chave entre duas equipes que correm risco de rebaixamento, e de tão equilibrada foi chata. Albo conseguiu vencer, após seis rodadas e embolou a situação na parte de baixo da tabela de promédio: empatou em pontos com o Olimpo, que é a primeira equipe antes da zona de rebaixamento.

No fechamento da rodada, a vitória do Vélez Sarsfield parecia inevitável, pois a equipe de Liniers sobe de qualidade a cada rodada, enquanto o Newell’s Old Boys mostra-se um time deprimente, nem sombra do que foi na última temporada. Santiago Silva e Augusto Fernández, no dia do seu aniversário, marcaram os gols. Com a vitória o Fortín chegou a segunda posição e com um jogo a menos, já a Lepra é o penúltimo lugar, o que gerou a queda de mais técnico nesta rodada: Sensini.

Resultados:

(4º) Estudiantes 0 x 0 San Lorenzo (6º)  
(9º) Independiente 3 x 0 Godoy Cruz (8º)  
(11º) Colón 0 x 2 Olimpo (3º)
(15º) Arsenal 2 x 2 Quilmes (20º)
(13º) Huracán 0 x 0 Racing (10º)  
(1º) River Plate 1 x 0 Banfield (12º)  
(5º) Argentinos Jrs 1 x 1 Gimnasia y Esgrima (17º)  
(7º) Lanús 2 x 0 Boca Jrs. (16º)  
(14º) Tigre 0 x 1 All Boys (18º)
(2º) Vélez Sarsfield 2 x 0 Newell’s Old Boys (19º)

Veja os gols da rodada:

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 8 de abril de 2011 Clausura | 15:48

Clausura, 9ª fecha: É agora, Palermo?

Compartilhe: Twitter

748 minutos. Este é o tempo que Martín Palermo, maior goleador xeneize, não marca em jogos oficiais, o equivalente a oito partidas e meia. O último gol foi marcado contra Gimnasia y Esgrima, em 13 de dezembro de 2010, no empate em 1 a 1 na Bombonera, pela última rodada do último Apertura. Nove rodadas depois, e à 22 minutos da pior marca, o Titán terá outra chance, agora, contra o Lanús para quebrar este hiato incômodo.

Mas não só Palermo e Boca Juniors movimentarão a nona rodada do Clausura, Estudiantes e San Lorenzo prometem uma grande partida entre equipe candidatas ao título e à liderança provisória. Ambas equipes vão à campo com força máxima na partida que abre a rodada, neste sexta-feira. Da mesma forma, o River Plate – que vem de três jogos sem perder e divide a liderança com o Pincha – pretende manter a boa sequência ante Banfield, apesar de já ter declarado que o título não é o primeiro objetivo e sim escapar do descenso.

Falando nisso, Tigre e All Boys fazem o duelo dos desesperados da rodada. Apesar da equipe de Victoria está em melhor situação tanto no promédio quanto na classificação do Clausura, ainda não está livre da B Nacional. Porém o Albo encontra-se em situação delicada: seis jogos sem vencer e na zona de Promoción. Assim como Palermo, não ver a hora do êxito.

Sexta-feira (08)
19h10 Estudiantes x San Lorenzo
21h30 Independiente x Godoy Cruz

Sábado (09)
14h Colón x Olimpo
16h10 Arsenal x Quilmes
18h20 Huracán x Racing
20h20 River Plate x Banfield (Esporte Interativo e Canchallena)

Domingo (10)
14h Argentinos Jrs x Gimnasia y Esgrima
16h Lanús x Boca Jrs (Esporte Interativo)
18h Tigre x All Boys
20h15 Vélez Sarsfield x Newell’s Old Boys (Esporte Interativo)

Ou acompanhe toda rodada por aqui.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

domingo, 3 de abril de 2011 Clausura | 23:25

Fecha 8: Resumo

Compartilhe: Twitter

Ao final da oitava rodada pouca coisa mudou na classificação do Clausura e na tabela de descenso. Entretanto, algumas curiosidades fizeram-se presentes: apenas Boca Juniors e Godoy Cruz venceram como seus jogos como locais, ou seja, esta rodada foi dos visitantes. Niell marcou o gol número três mil do Argentinos Jrs na era profissional, enquanto Palermo segue a quase oito jogos sem marcar. A média de gols foi de 2,6 por partida e Juan Cámpora, do Huracán, assumiu a liderança isolada da artilharia. E o Boca, que completou 106 anos, venceu o líder. 

GELP e Indep'te fizeram um jogo muito brigado.

Era uma partida importante para Gimnasia y Esgrima e Independiente, mas as equipes não se deram conta disso. O Lobo foi melhor durante maior parte da partida e não converteu a superioridade em gols. Do outro lado, havia o Rojo jogando mal, com um a menos e mostrando o empate estava de bom tamanho. Até chegar aos 45 minutos do segundo tempo e Pellerano converter o gol da vitória. O resultado quebrou um histórico de 15 partida sem vitórias do Indep’te em La Plata, e deixou o GELP em situação complicado na zona de descenso, e desfalques importantes para o próximo jogo, como Juan Neira e Fabián Rinaudo – que receberam o quinto amarelo -, além de Schelotto que está lesionado. 

Argentinos Juniors e Banfield fizeram uma partida regular. Apresentaram um bom volume de jogo na primeira etapa e o Bicho conseguiu se impor, venceu o Taladro por 2 a 0 e segue sendo o único invicto do torneio. Enquanto isso, o Banfield, acumula três partidas sem vitória. Fato curioso: Franco Niell ao marcar o primeiro gol do jogo, converteu o gol número 3000 da história do profissionalismo nos torneios da AFA, do Bicho

O All Boys, que vinha de quatro derrotas, ficou no zero a zero ante Lanús. O Albo foi levemente superior, mas não conseguiu traduzir isso em gols. Já o Granate, que vinha de uma bela vitória sobre o Racing até tentou, mas esbarrou na falta de eficiência. Além de mostrar, cada vez mais, a dependência em Diego Valeri. A equipe de Floresta soma 573 minutos sem marcar.

De líder a zona de descenso, da zona de descenso a liderança. Assim vive o Olimpo rodada após rodada. Apesar de jogar em casa e criar diversas oportunidades, a equipe de Bahía Blanca não conseguiu vencer o Vélez Sarsfield, que cola no Estudiantes e torna-se um candidato forte ao título. Nas últimas rodadas, o futebol do Fortín teve uma boa melhora, apesar de que a ausência de Maxi Moralez é uma baixa significativa.

Jogadores do Tigre comemoram o gol da vitória ante Racing.

O Newell’s Old Boys tem sido decepcionante neste Clausura, mas nesta rodada mereceu aplausos. Não por um gol, vitória ou grande jogada, mas sim pela reação na partida ante Arsenal. A Lepra perdia por 2 a 0 ao final da primeira etapa, e em oito minutos da segunda etapa empatou. Chances, de lado a lado, foram criadas e desperdiças, mas a expulsão de Sperdutti fez a equipe rosarina se fechar e optar pelo resultado em vigente. Com o resultado, Sensini seguiu no cargo.

Talvez a instabilidade seja o maior rival do Racing. E apesar da arbitragem controversa, faltou equilibro entre o ataque e a defesa. Do outro lado, o Tigre, que entrou em campo com a proposta de contraatacar, conseguiu explorar e vencer o rival. Erros, expulsões e agora três jogos sem vencer. A equipe de Victoria somou importantes pontos no promédio. A Academia se distancia dos primeiros colocados.

Em uma partida bastante movimentada, principalmente na primeira etapa, Godoy Cruz quebrou a sequência de cinco partidas sem perder do Huracán. Apesar da primeira etapa agitada, a segunda deixou muito a desejar. Ainda assim, o Tomba conseguiu imprimir um domínio. Para o Globo, as derrotas dos rivais diretos – Gimnasia y Esgrima e Olimpo – já valeram a rodada.

Não necessariamente um confronto direto, mas sim de duas equipes necessitadas. No qual o River Plate se deu melhor, soma a segunda vitória consecutiva, divide a liderança e consegue preciosos pontos na tabela de classificação, enquanto o Quilmes, segue na lanterna e sem vencer. Os Millionários não precisaram jogar uma grande partida para mostrar a superioridade diante dos Cerveceros, que ainda assim, mostraram-se presas fáceis. E, diga-se, Erik Lamela estive em tarde inspirada. O resultado foi placar mínimo, porém o suficiente para as aspirações da equipe de Núñez.

Riquelme comemora seu gol e o aniversário xeneize.

Postulante ao título, San Lorenzo não foi a equipe que tem sido costumeiramente, embora tenha criado diversas oportunidades, mas careceu de definição. Enquanto isso o Colón apostou em explorar os erros do adversário e levou a melhor. O Ciclón pagou caro por alguns erros defensivos e de conclusão. O Sabalero tinha Diego Pozo, que foi muito bem na partida, e Lucas Acosta, que marcou um doblete.

No dia do seu aniversário de 106 anos, Boca Juniors derrotou o líder Estudiantes, que começou vencendo com um gol do uruguaio Rodrigo López, aproveitando o erro de Insaurraldi. Mas a noite era do Boca e de Riquelme. O meia marcou de falta e criou outras tantas jogadas, dentre elas assistiu Viatri que marcou, mas teve o gol anulado. Embora tenha sido o próprio Viatri, após cruzamento de Mouche, o autor do gol da vitória aos 44 dos segundo tempo. O Pincha segue líder, os Xeneizes… tiveram mais um motivo para comemorar. Enquanto que Palermo bateu seu próprio recorde negativo e soma oito jogos oficiais sem marcar.

Resultados:

(17º) Gimnasia y Esgrima 1 x 2 Independiente (13º) 
(10º) Banfield 0 x 2 Argentinos Jrs. (5º)
(19º) All Boys 0 x 0 Lanús (11º)
(7º) Olimpo 1 x 2 Vélez Sarsfield (4º) 
(18º) Newell’s Old Boys 2 x 2 Arsenal (16º) 
(9º) Racing 1 x 2 Tigre (12º) 
(3º) Godoy Cruz 3 x 1 Huracán (14º) 
(20º) Quilmes 0 x 1 River Plate (2º) 
(6º) San Lorenzo 1 x 2 Colón (8º) 
(15º) Boca Juniors 2 x 1 Estudiantes (1º) 

Veja os gols da rodada:

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 31 de março de 2011 Clausura | 21:56

Clausura, 8ª Fecha

Compartilhe: Twitter

Nesta oitava rodada, que se inicia amanhã, sugiro três partidas, que por coincidência, ou não, serão as transmitidas pelo canal Esporte Interativo. Porém, por este link há possibilidade de assistir todos.

Na abertura da rodada, Gimnasia y Esgrima e Independiente, ambas em situação de risco, lutam para conseguir pontos na tabela de Promédio. O Lobo encontra-se na zona de descenso direto, não terá o ídolo Guillermo Barros Schelotto, já o Rojo não terá o arqueiro titular, Hilário Navarro, por lesão em seu lugar Fabián Assmann, também voltará Carlos Matheu e Maxi Valázquez.

 Já no sábado, Vélez Sarsfield vai à Bahía Blanca enfrentar a “sensação” Olimpo. Os bahíenses almejam a liderança de e contarão com o retorno do artilheiro Ezequiel Maggiolo, enquanto o Fortín possui um bom plantel e quer perder os lideres de vista, apesar de alternar boas e más partidas.

No fechamento da rodada, domingo, Boca Juniors recebe o Estudiantes, na Bombonera, após uma semana tranquila. Após 19 rodadas, os Xeneizes repetirão uma escalação, já o Pincha, que é o atual líder, vai à campo motivado pela classificação a segunda fase da Copa Libertadores.

Sexta-feira (01)
19h10 Gimnasia y Esgrima x Independiente (Esporte Interativo)
21h15 Banfield x Argentinos Jrs.

Sábado (02)
14h All Boys x Lanús
16h10 Olimpo x Vélez Sarsfield (Esporte Interativo / Canchallena)
18h20 Newell’s Old Boys x Arsenal
20h20 Racing x Tigre (Canchallena)

Domingo (03)
14h Godoy Cruz x Huracán
16h Quilmes x River Plate
16h San Lorenzo x Colón
18h15 Boca Juniors x Estudiantes (Esporte Interativo)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 3
  3. 4
  4. 5
  5. 6
  6. 7
  7. Última