Publicidade

Arquivo de janeiro, 2011

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011 Mercado, Newell's Old Boys | 23:38

Apenas uma novela de verão

Compartilhe: Twitter

Entre idas e vindas. Despedidas e retornos. Foram 33 dias, quatro equipes e quatro negociações frustradas, hoje, o jovem meia do Newell’s Old Boys, Mauro Formica, conseguiu concluir sua épica jornada de verão.

Após quatro negociações fracassadas, Formica fechou com Blackburn.

28 de dezembro. Galatasaray-TUR fez uma proposta formal ao Newell’s, de 4 milhões de euros, pelo meia. E quando tudo parecia certo, os prazos de pagamento não agradaram a diretoria rosarina, iniciaria, então, uma novela verão.

10 de janeiro. Surgiu o Genoa-ITA, com o mesmo valor da proposta. O Newell’s já havia acordado até a forma de pagamento, tudo por telefone e fax. No entanto, de última hora a equipe italiana quis mudar a forma de pagamento e a negociação caiu. O Genoa só pagaria assim que a transferência fosse finalizada. Como os Leprosos não concordaram, os genoveses assinaram, por empréstimo, com outro Mauro, o Boselli.

21 de janeiro. Um grupo de empresários começaram a negociar com o presidente do clube, Guillermo Lorente, e o representante do atleta, Fabián Basualdo. O valor seria o mesmo já proposto pelo time turco e italiano. Contudo, os empresários intermediariam a venda para o Estrela Vermelha-SER e o cederia ao Blackburn Rovers-ING, por empréstimo. Ou seja, uma triangulação bem complexa. E o negocio não teve sequência.

23 de janeiro. Após a terceira frustração, o Mônaco-FRA começou a negociar com o clube Rojinegro. O contrato era de 3,5 milhões de euros, por três anos e meio. Mas os problemas começaram logo na chegada à França. O meia estava com o passaporte italiano vencido. Porém seu representante conseguiu resolver este problema consular, rapidamente. Mas não acabaram por ai. Houve também um impasse, este referente aos 24% dos impostos da transação, e de quem o assumiria. Detalhes…

28 de janeiro. A comitiva argentina estava em Mônaco negociando uma melhoria contratual. Até que novamente os ingleses voltaram à cena, com uma nova proposta. O presidente Leproso Guillermo Lorente, o secretário Pablo Morosano, o jogador e seu representante pegaram um voo para Londres, de madrugada. E apenas hoje, 31 de janeiro, os Rovers fecharam com o atleta por 4,2 milhões de euros.

Formica, 22 anos, tornou-se o primeiro jogador do Newell’s Old Boys a ser transferido diretamente para uma equipe da Premier League. Mas isso pouco importa, neste momento. Pois, justamente, no último dia do mercado europeu, a novela teve capítulos finais. Final feliz? Quiçá…

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 30 de janeiro de 2011 Copa Libertadores da América, Vélez Sarsfield | 23:32

Guia Libertadores 2011: Com futebol bonito, Fortín é candidato ao título…

Compartilhe: Twitter

Hinchada Fortinera no estádio José Amalfitani, que possui capacidade para 49.540 expectadores.

Pela elegância, criatividade e eficiência, o Vélez Sársfield é a equipe argentina que joga o futebol mais bonito, atualmente, diga-se. Porém não foi o suficiente para conquistar o título do Apertura. No entanto, foi o suficiente para alcançar a almejada vaga à Copa Libertadores da América, por ter sido a melhor na tabela agregada para classificação ao torneio.

Esta tal tabela de ponto agregados expõe algo que é visível a quem acompanha o futebol argentino, que junto ao Estudiantes, o Fortín é a equipe mais regular. Ou seja, regularidade e futebol bonito é um prato cheio para bons resultados.

Além disso, dos clubes argentinos foi o que caiu no grupo mais acessível, com Universidad Católica-CHI, Caracas FC-VEN e Bolívar-BOL ou Unión Española-CHI.

Pontos fortes

O futebol da equipe tem sido bonito e eficiente, e todos os setores estão equilibrados. A defesa foi uma das menos vazadas no Apertura, sofreu apenas nove gols. Enquanto que o ataque foi o que mais vezes balançou as redes adversárias, com 33 gols. Os atacantes Sebastián Tanque Silva e Juan Manuel Martínez foram os artilheiros, com 11 e 10 gols, respectivamente.

Entre os dois setores, o meio de campo, que além de dar respaldo a defesa, cria bastantes jogadas ofensivas. E agora, com a dupla de criação Maxi Moralez e David Ramírez têm o melhor sistema ofensivo da Argentina.

Pontos fracos

As saídas de Jonathan Cristaldo, para o Metalist Kharkiv-UCR, e Leandro Somoza, para o Boca Juniors, são baixas consideráveis para o time. O primeiro, apesar de suplente, pode-se dizer que, era um reserva de luxo. Enquanto que o segundo é primeiro volante e era fundamental ao sistema tático da equipe de Gareca. Ou seja, enfraqueceu o sistema defensivo.

Tática

Ricardo Gareca arma a equipe no 4-4-2. Com Marcelo Barovero no gol. Emiliano Papa, na lateral esquerda, um pouco mais avançado do que a linha de zaga, com Flaco Ortiz, Sebá Dominguez e Fabián Cubero, meia que tem atuado na lateral direita; Franco Razotti e Victor Zapata, de volantes, David Ramírez, aberto pela direita, e Maxi Moralez, pela esquerda; Juan Manuel Martínez e Santiago Silva no ataque.

 

Apesar de ser o homem da criação, Moralez também marca os seus gols.

A figura do time

Maxi Moralez. O meia de 23 anos é o principal responsável pela armação das jogadas ofensivas da equipe de Liniers. E compensa a baixa estatura (1,60 cm) com velocidade e mobilidade, além dos passes precisos. Atua tanto centralizado quanto pelos flancos.

Quem pode surpreender

Convocado pela primeira vez para a seleção argentina, o atacante Juan Manuel Martínez ganhou ainda nas canteras do clube o apelido de Burrito, por possuir características parecidas a de Ariel Ortega, porém ele joga mais avançado. Vice artilheiro do Apertura, com 10 gols, Martínez sabe se movimentar – atraindo a marcação e abrindo espaço – muito bem, além de boa finalização.

Quem chegou

Guillermo Franco (Atacante – Sem clube), David Ramírez (Meio campo – Godoy Cruz)

Quem saiu

Jonathan Cristaldo (Atacante – Metalist Kharkiv-UCR), Leandro Somoza (meio campo – Boca Juniors)

Jogos

15.02 Vélez Sarsfield x Caracas FC-VEN 
03.03 Vélez Sarsfield x Universidad Católica-CHI
10.03 Vencedor (Bolívar-BOL ou Union Española-CHI) x Vélez Sarsfield
24.03 Vélez Sarsfield x Vencedor (Bolívar-BOL ou Union Española-CHI)
07.04 Universidad Católica-CHI x Vélez Sarsfield
14.04 Caracas FC x Vélez Sarsfield

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011 Copa Libertadores da América, Godoy Cruz | 22:29

Guia Libertadores 2011: Tomba quer fazer história…

Compartilhe: Twitter
Jogadores do Tomba comemorando um gol.

Jogadores do Godoy Cruz comemorando um gol.

Do iminente rebaixamento a Copa Libertadores da América. Este foi o resumo do último ano do Godoy Cruz. A equipe mendocina deixou de lado o futebol instável e pouco atrativo para se tornar o destaque da temporada. Ganhou consistência, tornou-se objetiva, regular e eficiente. 

Graças a esta transformação o Tomba alcançou a segunda melhor campanha na tabela de pontos agregados que dar acesso a Libertadores, e disputará a competição internacional pela primeira vez em sua história. 

Entretanto, a vida dos Bodegueros não será nada fácil, pois caiu em um dos grupos mais difíceis da Copa, ao lado do Peñarol-URU, LDU Quito-EQU e Independiente ou Deportivo Quito-EQU. E perdeu a trinca ofensiva, o que gera uma desconfiança. Ainda assim, se a equipe conseguir reeditar o bom futebol apresentado em 2010, sob o comando de Omar Asad, terá boas chances de ser a zebra do torneio. 

Pontos fortes 

O Expresso, como também é conhecido, possui um meio de campo que dá liberdade criativa ao enganche. Com saída do Mago Ramírez, Mariano Donda assumiu (provisoriamente?) esta posição. No entanto, a função de fazer gols é dividida por (quase) todos no time. 

Com as finanças positivas e, agora, dinheiro em caixa com a venda de Ramírez, o clube poderá contratar alguém de peso. Enquanto que a equipe deverá focar apenas nas questões futebolísticas. 

Pontos fracos 

A falta de experiência em competições internacionais, aliado a falta de “peso da camisa” é um grande problema para o Tomba. E apesar de quase todos na equipe marcarem gols, a dupla de ataque titular foi desfeita, Castillo e Carranza, ambos foram vendidos. 

No entanto, a maior baixa foi a saída do principal jogador da equipe, David Ramírez, que era o responsável pela criação das jogadas de ataque. Além da saída do técnico Omar Asad, um dos principais, se não o principal, responsáveis por esta transformação Bodeguera. Agora é o momento de saber o quão influentes eles foram à equipe. 

Táctica 

Da Silva herdou o esquema tático e suas variáveis, do seu antecessor Omar Asad. Nos primeiros treinamentos se utilizou do 4-3-1-2. Sebastián Torrico; Roberto Russo (Ariel Rojas), Nico Sánchez, Zelmar García (Leonardo Sigali) e Germán Voboril na defesa; Carlos Sánchez, Nicolás Olmedo e Diego Villar, em linha, Mariano Donda tem sido o enganche, com a saída de Ramírez; Fabricio Núñez (Rubén Ramírez) e Rodrigo Salinas (Alvaro Navarro) no ataque. 

Roberto Russo é a chave da variação para o 3-4-1-2, podendo atuar também no meio, ou em seu lugar, Ariel Rojas, no meio de campo, como tem ocorrido normalmente. 

 

Com a saída de Ramírez, Nico Olmedo tornou-se a peça chave do Tomba

A figura do time

Com a saída de Ramírez, Nicolás Olmedo assumiu só o papel de jogador chave. O volante é o homem mais recuado do meio de campo e organizador defensivo, recuperador de bola, que joga simples. Peça vital a equipe. 

Quem pode surpreender 

Fabri Núñez. O atacante uruguaio jogou poucos minutos no último torneio, mas a saída da dupla titular de ataque abriu uma lacuna no ataque do Tomba. Ele possui boa mobilidade e chegada como elemento surpresa. 

Quem chegou 

Jorge Polila Da Silva (Técnico – Defensor-URU), Rubén Ramírez (Atacante – Banfield), Gastón Sauro (Zagueiro – Boca Juniors), Germán Voboril (Lateral esquerdo – San Lorenzo), Emir Faccioli (Zagueiro – Frosinone-ITA), Alvaro Navarro (Atacante – Gimnasia y Esgrima La Plata) 

Quem saiu 

Omar Asad (Técnico-Emelec), Jairo Castillo (Atacante – Querétaro-MEX), César Carranza (Atacante – Lanús), David Ramírez (Meio campo – Vélez Sarsfield) 

Jogos 

17.02 Godoy Cruz x LDU-EQU
01.03 Godoy Cruz x Peñarol
10.03 Independiente x Godoy Cruz
23.03 Godoy Cruz x Independiente
31.03 Peñarol x Godoy Cruz
12.04 LDU-EQU x Godoy Cruz

À medida que forem surgindo novidades na equipe volto e atualizo.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011 River Plate | 19:01

O contraditório mundo de Passarella

Compartilhe: Twitter

Daniel Passarella é um dos grandes ídolos do River Plate. E isso o credenciou ao posto de comandante máximo da instituição, e ao assumir adotou a postura mais usual em terras tupiniquins: a revolucionária. Tipicamente, o salvador da pátria. Mas, as contradições não tardaram a aparecer. 

Passarella: O colecionador de contradições

Logo neste primeiro ano de gestão muitas coisas já aconteceram. Em meio ao fervor da posse, declarações acerca das finanças e como daria uma solução neste problema. Não é fácil, fato. Mas a equipe de Núñez apresentou um passivo exorbitante, o maior dentre os clubes do país: 216,8 milhões de pesos (R$ 90,7 milhões), destes 191,7 milhões de pesos (R$ 80,2 milhões), são passivos correntes, aqueles que devem ser saudados em 12 meses. O déficit do clube é de 79,8 milhões de pesos (R$ 33,3 milhões). Estes valores são do exercício compartilhado entre Daniel Passarella e José María Aguillar.                

Ao assumir o cargo, prometeu um fundo de investidores para o clube, o que não foi visto com bons olhos por dirigentes e torcedores, que viam neste processo uma forma de vender a identidade do clube. Recuou. 

Mais ou menos um mês atrás, os Millionários receberam um adiantamento de 12 milhões de pesos (R$ 5 milhões) da AFA, relativo ao programa Fútbol para Todos. A primeira medida foi pagar as duas parcelas referente a compra do defensor paraguaio Adalberto Román, após o Libertad-PAR reclamar a dívida de 1,5 milhões de dólares (R$ 2,5 milhões). Segundo a entidade, este dinheiro não poderia ser utilizado para contratações, apenas para pagamento de dívidas. 

Outro ato contraditório, em seu discurso, foi contratar, em um ano, três treinadores – Ángel Cappa, Leonardo Astrada e Juan José López, mostrando assim, impaciência e equívoco no planejamento. Nem mesmo seu tempo como treinador o ensinou algo. 

Após mais um passo em falso de Ariel Ortega, o técnico J. J. López pediu sua cabeça. O Kaiser o deu. Negociou o Burrito , mas não antes de renovar seu contrato por mais três anos, emprestando-o por seis meses, com opção de renovação por mais um ano. Com a famosa cláusula não-te-quero-mas-te-temo. Ou seja, voltará ainda em seu mandato e lhe dará a justa homenagem, a despedida. Um golpe de mestre, do mandatário. Se livrou de um problema iminente e urgente, mas o utilizará para a manutenção de seu mandato, vide a importância que Ortega possui para o clube. O maior ídolo recente. 

Por fim, conseguiu um bom valor no meio Diego Buonanotte, 4 milhões de euros (R$ 9,1 milhões). No entanto, está supervalorizando o bom atacante Rogelio Funes Mori, cotado em 8 milhões de euros (R$ 18,2 milhões), valor que já foi oferecido pelo Benfica-POR, mas o presidente Millionário acredita conseguir mais pelo atleta. A meta é chegar em 12 milhões de euros (R$ 27,4 milhões). Também rechaçou uma oferta de 12 milhões de euros (R$ 27,4 milhões) do Milan-ITA, pelo meia Erik Lamela. A cláusula de rescisão, segundo a imprensa é de 20 milhões de euros (R$ 45,7 milhões). Desfazer-se de todos não seria conveniente e inteligente, na verdade, seria um tiro no pé, mas saldar as dívidas é preciso. 

Em um ano de mandato, Passarella colecionou contradições e uma forma bem peculiar de administrar uma das maiores instituições da Argentina. Mas está na hora de rever seus conceitos, pois o River Plate é muito maior do que suas ações e promessas. Se seguir desta forma não deixará saudades, assim como deixou quando jogador. Enfim…  

*Cotação com valores do fechamento da bolsa no dia 26 de janeiro.

Autor: Tags: , , , ,

Clausura, Gimnasia LP | 10:40

Em busca do final feliz

Compartilhe: Twitter

Guillermo: "Não sou o salvador"

O retorno de Guillermo Barros Schelotto ao seu clube de coração, Gimnasia y Esgrima de La Plata, é uma novela. Com direito a especulação, mistério, negociação extensa, resposta postergada, pedido do pai, declarações emotivas, porém comedidas na apresentação e, como não poderia deixar de ser, alegria… Ao menos, nos primeiros capítulos.

Ao chegar ao Bosque, a primeira exigência do técnico Ángel Cappa foi contar com Schelotto. As negociações, que se iniciaram no início de dezembro, só teve o desfecho nos primeiros dias de janeiro com o final feliz para as duas partes, diga-se de passagem. Seu pai, Hugo Barros Schelotto, médico e membro do conselho de futebol do Gimnasia, foi um dos responsáveis pelo retorno do ídolo ao clube mais de 13 anos depois. A boa relação com o presidente, Héctor Delmar, também ajudou.  

Há quem diga que, além da relação sentimental com o clube, o fato de Cappa ser menotista, também influenciou em sua decisão. Vai saber. Contudo, nos três primeiros amistosos três vitórias, e o atacante já mostrou porque se torna ídolo por onde passa, com direito a gol, assistência, a entrega que lhe é peculiar – mesmo com os seus 37 anos – e vários torcedores para vê-lo.

O Mellizo com a camisa do Gimnasia LP

Mas, apesar de bom técnico, Cappa não me parece ser o mais adequado às necessidades do Gimnasia, que precisa de urgência. Encontra-se na zona de Promoción, junto a Huracán, Olimpo e Quilmes. No entanto, Melli é tudo que o clube precisa neste momento, mas já avisou que “não é um Messias, nem um salvador”. Porém ninguém no clube dúvida que ele é transcendental. Nem eu.  

Certamente, foi uma ótima jogada emotiva e de marketing do clube platense. Enfim, “o bom filho à casa torna”. Guillermo se empenhará ao máximo para evitar o possível descenso dos Triperos. Angel promoverá um esforço extra para não sujar seu curriculum com dois desastres consecutivos. Os torcedores já demonstraram que voltarão às arquibancadas. Mas nada disso garante que esta novela terá o final feliz.

Aguardem os próximos capítulos…

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 Argentinos Jrs, Copa Libertadores da América | 19:00

Guia Libertadores 2011: Após 25 anos, o Bicho está de volta…

Compartilhe: Twitter

 Atualizado às 16h de 04.02 

Foto do time, pós título do Clausura.

Após ser campeão do Torneio Clausura – o que lhe garantiu a terceira participação na Copa Libertadores da América -, o Argentinos Jrs sucumbiu. Se desfez de diversos elementos importantes da equipe e não conseguiu repetir as mesmas atuações no Apertura, terminando em 12º. E fazendo o técnico Pedro Troglio – que substituiu Claudio Borghi após o título – balançar no cargo. 

O Bicho Colorado volta à competição continental 25 anos depois da última participação – foi derrotado na semifinal – e 26 do único título da equipe na Copa. Logo, a meta é igualar um dos seus feitos longínquos. 

A falta de contratações – até, então, chegou o meia Sánchez Prette e o atacante Salcedo – aliado à dispensa de alguns atletas que compõe o elenco poderá enfraquecer ainda mais a equipe, que se já não bastasse caiu num grupo difícil, ao lado de Nacional-URU, Fluminense-BRA e América-MEX. 

Ponto Forte 

O doble 5 formado pela dupla Mercier e Ortigoza Sánchez Prette (caso consiga se adaptar e reeditar seu bom futebol), que são as armas da equipe, além de reforçarem a defesa, são os responsáveis por armar as jogadas de ataque. Com a chegada de Prette, o meio de campo – que já é o melhor setor da equipe – ganha mais consistência e experiência, vide que o meia foi campeão da competição com o Estudiantes, em 2009. Além da experiência do atacante Salcedo, artilheiro da competição, no mesmo ano. 

Atrás, o arqueiro Nicolás Navarro tem demonstrado bastante segurança. Ainda assim, o Tifón é uma equipe sem brilho. 

Ponto fraco 

A pouca experiência do grupo em torneios internacionais é bastante prejudicial, mas o futebol que a equipe tem apresentando é o maior ponto negativo. Seus laterais são constantemente surpreendidos.  

Apesar de serem os destaques da equipe, a dupla Mercier-Ortigoza pode está com os dias contados. Ortigoza viu as negociações da renovação do seu contrato se arrastarem, mas tudo foi resolvido. Apesar de ter o contrato renovado, Ortigoza foi vendido ao San Lorenzo, logo, um dos pontos fortes da equipe a dupla Mercier-Ortigoza foi desfeita. E, a muito tempo o seu parceiro, Mercier já demonstrou sua vontade de ser transferido e por mais que nenhum negoóio tenha sido concretizado, o meia já não mostra a alegria de seguir no clube. 

Tática 

Troglio comumente arma a equipe no 4-2-2-2, com Navarro; Prósperi, Berardo, Gentiletti e Sábia na defesa; A dupla Mercier-Ortigoza no meio Com a saída de Ortigoza, Mercier, provavelmente, fará dupla no sistema defensiva com Prette, porém um pouco mais recuado e Escudero e Niell mais abertos pelas laterais apoiando Blandi (Vargas) e Rius, no ataque. Por vezes, Ortigoza Prette assume o papel de enganche e um dos laterais é deslocado para o meio, variando para o 3-4-1-2. 

Mercier é o jogador chave da equipe e agora só após a saída do parceiro Ortigoza.

A figura do time 

Nestor Ortigoza. Capitão e, junto com Mercier, peça chave da equipe, o argentino naturalizado paraguaio foi um dos grandes responsáveis pelo título do Clausura. O meia não sucumbiu junto a equipe no Apertura. Sabe defender e atacar muito bem, além de boa visão de jogo. 

Com a saída de Ortigoza, o volante Juan Mercier, que já era uma peça chave da equipe, terá importância redobrada para manter a qualidade no meio de campo da equipe. E provavelmente, herdará a braçadeira de capitão. Bom marcador, sabe dar o primeiro passe como poucos e chega bem ao ataque, qualidades essas que o deram espaço na lista prévia de Maradona para o Mundial ’10. 

Quem pode surpreender 

Franco Niell. Com mobilidade, criatividade e velocidade pelos flancos, o atacante é escalado, por vezes, como meia. Mas, independente da posição é uma das arma de criação da equipe. 

Quem chegou  

Sánchez Prette (meio campo – Barcelona de Guayaquil-EQU, mas pertence ao Cluj-ROM), Santiago Salcedo (Atacante – Lanús) 

Quem saiu 

Nestor Ortigoza (Meio campo – San Lorenzo), Federico Domínguez, Guillermo Pereyra, Carlos Recarlde, Darío Ocampo, Fabio Escobar, Julián Fernández, Lucas Fernández, Jonathan Páez, Leonel Coudannes. 

Jogos 

09.02 Fluminense-BRA x Argentinos Jrs.
24.02 Argentinos Jrs. x América-MEX
02.03 Nacional-URU x Argentinos Jrs.
15.03 Argentinos Jrs. x Nacional-URU
07.04 América-MEX x Argentinos Jrs.
20.04 Argentinos Jrs. x Fluminense

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 25 de janeiro de 2011 Seleção | 18:02

Palavra chave: Renovação

Compartilhe: Twitter

Atualizado às 0h02 de 28.01

Finalmente, Batista apresentou a lista oficial. Pérez ficou fora.

Após vazar uma lista extra-oficial, ontem, com os convocados para o amistoso ante Portugal, em Genebra, na Suíça, dia 09 de fevereiro, o selecionador da Argentina, Sergio Batista, apresentou a lista oficial, hoje. E como já era sabido por todos, algumas ausências e novidades se fizeram presentes. E apesar de não descartar os ausentes de futuras convocações, fez questão de justificar a lista com a palavra chave: “renovação”.

Dentre os ausentes, nomes como Martín Demichelis, Gabriel Heinze, Carlos Tévez, Sergio Agüero, dentre outros. Na contramão, Ezequiel Garay, Marcos Rojo e Juan Manuel Martínez foram as novidades. Enzo Pérez que estava na extra-oficial ficou fora, Cristian Chávez foi convocado em seu lugar, dois dias depois.

Contudo, não são as ausências ou as novidades que mais me chamam a atenção, mas sim, uma mudança de estilo. Checho Batista, que ainda não possui grandes índices de aprovação, tenta ao máximo se afastar do estilo do antecessor Diego Maradona e mostrou isso desde as primeiras convocatórias, como interino, ao trazer de volta Javier Zanetti e Esteban Cambiasso.

Porém, o jeito Pep Guardiola mostra-se cada vez mais presente em sua equipe, vide o esquema e a peça chave, Lionel Messi. Agora, quer experimentá-lo centralizado, com dois atacantes pelos flancos. No meio de campo, tem cada vez mais utilizado volantes leves, com boa saída de jogo e que se apresentam ao ataque – nesta lista, Cambiasso, Gago, Biglia, Banega e Sosa -, além do meia Pastore, que dispensa comentários. E Mascherano mais recuado protegendo a zaga.

Mas a convocação de três laterais de oficio – Rojo, Zabaleta e Zanetti – apresenta um novo panorama: a volta, mesmo que lenta, dos laterais à seleção argentina. Observando que, por questões culturais, não possuem muitos jogadores na posição, mas sim, zagueiros improvisados.

No ataque, falta um jogador de referência, mas assim, como o Barça de Guardiola, o homem de referência possui leveza e mobilidade. Tévez poderia ser este homem, Milito é. Pelos flancos Burrito Martínez e Gaitán, ganham justa oportunidade, além de Lavezzi e Di María.

É fato, que uma renovação está sendo feita, de nomes e estilos. Experimentar é necessário. E se é para se espelhar em alguém que seja em um técnico de verdade, como é Guardiola, e no melhor time da atualidade, o Barcelona.

Demichelis e Heinze

A explicação para a ausência dos defensores é simples: idade avançada, 30 e 32, respectivamente – visando o próximo Mundial – e as más atuações. Destes, o Gringo é o que tem menos chances de voltar.

Tévez e Agüero

Não sabe-se o real motivo da ausência e Checho prefere não falar. Justificou à (quase) todos a não convocação, menos a ambos, o que gerou um desconforto. Porém, pode ter sido motivado pela última convocação, na qual ambos foram dispensados por estarem lesionados e poucos dias depois atuaram por suas equipes.

Enzo Pérez e Cristian Chávez

Após a lista extra-oficial ser divulgada, Alejandro Sabella, técnico do Estudiantes, e pediu a dispensa de seu atleta da convocatória para que ele se preparem melhor para a temporada. E apesar de ser um desejo antigo de Batista e já conhecido pelo treinador Pincha, o selecionador abriu mão do atleta e levou Pochi Chávez. O volante Xeneize tem colecionado boas atuações tanto no último Apertura quanto nesta pré-temporada. Marcação, passe e arremates de média e longa distância são algumas de suas características.

Ezequiel Garay

O zagueiro Merengue foi campeão das Olimpíadas de Pequim 2008, sob o comando de Batista, e isso é um ponto positivo. E, diga-se, que o galáctico Real Madrid-ESP sufoca qualquer jogador mediano. Assim o fez com Garay, que, após empréstimo ao Racing Santander-ESP, não conseguiu se firmar na equipe de Mourinho e já foi colocado pelo técnico na lista dos transferíveis. Nem a fase de escassez de grandes zagueiros argentinos, me fez entender essa convocação.

Abaixo, a lista de convocados.

Goleiros

Sergio Romero (AZ Alkmar-HOL)
Mariano Andújar (Catania-ITA)

Defensores

Javier Zanetti (Inter-ITA)
Pablo Zabaleta (Manchester City-ING)
Nicolás Pareja (Spartak Moscou-RUS)
Nicolás Burdisso (Roma-ITA)
Ezequiel Garay (Real Madrid-ESP)
Marcos Rojo (Spartak Moscou-RUS)
Nicolás Otamendi (Porto-POR)
Gabriel Milito (Barcelona-ESP)

Meiocampistas

Esteban Cambiasso (Inter-ITA)
Fernando Gago (Real Madrid-ESP)
Lucas Biglia (Anderletch-BEL)
José Sosa (Napoli-ITA)
Angel Di María (Real Madrid-ESP)
Javier Mascherano (Barcelona-ESP)
Éver Banega (Valência-ESP)
Javier Pastore (Palermo-ITA)
Cristian Chávez (Boca Juniors)

Atacantes

Lionel Messi (Barcelona-ESP)
Ezequiel Lavezzi (Napoli-ITA)
Diego Milito (Inter-ITA)
Nicolás Gaitán (Benfica-POR)
Juan Manuel Martínez (Vélez Sarsfield)

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011 Copa Libertadores da América, Independiente | 22:59

Guia Libertadores 2011: Chegou a hora do Diablo…

Compartilhe: Twitter
Apresento a partir desta semana um pequeno Guia sobre as equipes argentinas que disputarão a Copa Libertadores da América 2011.   
 
Atualizado às 23h58 de 01.02

Comemoração do Independiente, após o título da Copa Sul-Americana 2010

O Independiente é grande demais para ser subestimado como foi na Copa Sul-Americana. Tanto pela equipe do Goiás, como por parte da imprensa brasileira. E a máxima do peso da camisa foi comprovada. Resumo da obra: Título da Copa e vaga na fase de qualificação para a Copa Libertadores da América, ante Deportivo Quito-EQU. 

O título, que resultou na voltar à Libertadores, após sete anos, e na participação em mais três torneios internacionais – Recopa, Suruga Bank e Sul-Americana – chegou em boa hora para a gestão do presidente Julio Comparada e a enorme dívida do clube. Mas para seguir em frente na competição internacional terá de superar os equatorianos – que contrataram um sacerdote para benzer a equipe contra os Diablos. E caso os argentinos passem desta fase, entrará em um do grupo bastante equilibrado, com Godoy Cruz, Peñarol-URU e LDU Quito-EQU. 

O único dos, ditos, cinco grandes da Argentina e maior vencedor desta Copa – sete títulos -, o Rojo tem emplacado sucessivas campanhas desastrosas, inclusive, terminando em último no Apertura. O clube possui um plantel irregular, mas segundo o zagueiro Carlos Matheu, o melhor plantel da América do Sul. Não chega a tanto, mas também não deixa a desejar à maioria dos clubes que disputam o torneio, principalmente, no sistema defensivo. 

Pontos Fortes 

Com o título, a confiança foi renovada tanto da equipe, quanto da torcida, uma das mais intensas do país, diga-se. Sem dúvidas que o estádio Libertadores de América será uma das armas do Rey de Copas. Além da hinchada, o bom, porém irregular, plantel mescla juventude e experiência, e conta com as incorporações do meia-atacante Matías Defederico, ex-Corinthians, e do lateral direito colombiano Iván Vélez, posição na qual atua o improvisado Lucas Mareque. 

O sistema defensivo, que conta com dois ótimos arqueiros: Hilário Navarro – atualmente, um dos melhores do futebol sulamericano – e o bom suplente, Adrián Gabbarini. Na zaga, Galeano, Matheu, Tuzzio e Julián Velázquez, revezam na trinca defensiva, além do ótimo volante Roberto Battión, um dos melhores jogadores do time. 

Pontos Fracos 

Apesar de possuir bons jogadores no sistema defensivo, a equipe precisa de reforços para o sistema ofensivo, atletas que possam somar ou auxiliar a dupla de ataque Facundo Parra e Andrés Silvera. Porém o presidente Julio Comparada já avisou que o resultado da repescagem conduzirá a próxima aquisição. Passando chegaria um atleta ofensivo “importante”, caso contrário, mediano. Mesmo após, o presidente Julio Comparada, ter anunciado que não faria mais incorporações até a próxima fase da Libertdaores, chegou nesta segunda-feira (31), o terceira contratação do Rojo, o velho conhecido atacante Leonel Núñez.

O jovem zagueiro Galeano – que já desfalcará a equipe na fase de qualificação, por está à serviço da Seleção Sub 20 -, poderá não atuar mais pelo Rojo, a diretoria tenta o negociar com o Catania-ITA. 

Jogar a Libertadores sem perder o foco no Clausura 2011, caso isso não aconteça poderá se complicar na tabela de promédio para o descenso, está a dez pontos do Huracán. 

Tática 

Antonio Mohamed empregou o 3-5-2. Navarro; Na trinca defensiva o experiente Tuzzio, Carlos Matheu, no lugar do jovem Leonel Galeano, e Julián Velázquez; Mareque e Cabrera fazem as vezes de alas, enquanto Battión é o volante de contenção, e um pouco mais à sua frente, o meia Fredes. Na armação, Godoy. No entanto, comumente Martínez ou Patito Rodriguez ou Gracián entram neste setor; Com a chegada de Defederico, que já demonstrou a preferência em atuar como enganche este setor ainda indeciso ganhará novos olhares. Facundo Parra e Silvera no ataque. O time segue à espera da recuperação do meia Walter Busse. 

Cuqui Silvera, a figura chave da equipe

A figura do time 

Andrés Silvera. Aguerrido e eficaz, o atacante Rojo é a cara do time. Aos 33 anos, Cuqui é bastante experiente. Cabeceia muito bem e é o atípico centroavante de área, que apesar de ser a referência do ataque volta para armar as jogadas de ataque, pode-se dizer, que é o jogador chave da equipe. 

Quem pode surpreender 

Matías Defederico, que busca, além de reeditar os bons tempos de Huracán, uma autoafirmação. Apesar de iniciar a carreira como (segundo) atacante prefere atuar como enganche. Drible, assistência e arremates, de longa e média distância, fazem parte do seu repertório. 

  

Quem chegou  

Matías Defederico (Atacante – Corinthians), Iván Vélez (Lateral direito -Once Caldas-COL), Leonel Núñez (Atacante – Bursaspor-TUR) 

Quem saiu 

Germán Pacheco (Atacante – Gimnasia y Esgrima de La Plata) 

Jogos 

25.01 Independiente 2 x o Deportivo Quito-EQU
01.02 Deportivo Quito-EQU 1 x 0 Independiente 

Fase de grupos

24.02 Independiente x Peñarol-URU
03.03 LDU Quito-EQU x Independiente
10.03 Independiente x Godoy Cruz
23.03 Godoy Cruz x Independiente
05.04 Independiente x LDU Quito-EQU
12.04 Peñarol x Independiente

À medida que forem ocorrendo novidades em relação as equipes eu passo aqui para atualizar.

Autor: Tags: , , , ,

Sem categoria | 22:02

Saludos!

Compartilhe: Twitter

Olá, amigos.

A partir de hoje, assumo este espaço e espero fazer jus à confiança que me foi dada. O Toco y Me Voy possui, genericamente, a mesma missão dos demais blogs sobre o assunto: quebrar o preconceito incrustado no pensamento brasileiro (discutiremos isso em outras oportunidades) – de uma forma bem leve -, dialogando sobre um futebol apaixonante. Tudo isso com um conteúdo menos noticioso, atingindo uma esfera mais analítica, crítica e reflexiva. Porém não menos informativa, e cheia de curiosidades.  

Futebol, cultura, economia e política, aqui tudo se mistura em algum momento. Na verdade, essas esferas são inerentes umas às outras e, por vezes, se confundem. Histórias, dados e efemérides também se farão presentes.

Aqui, os anúncios dos novos Messi’s e Maradona’s serão indiferentes – porém conveniente quando um dia surgirem. E se surgirem -, pois os “velhos” já satisfazem. Discutir quem é melhor: Maradona ou Pelé seria interessante se já não fosse irrelevante. Todo mundo sabe que Di Stéfano foi melhor. (Mas fico à disposição de quem queira discutir)

Sugestões, críticas e discussões serão sempre bem vindas; Preconceito (ou conceitos preconcebidos, como preferirem) podem e devem ser guardados, ou expostos desde que com inteligência. E que este seja mais um espaço de diálogo sobre o futebol argentino.

Saludos!

Autor: Tags: