Publicidade

Arquivo de setembro, 2009

domingo, 20 de setembro de 2009 Apertura | 23:54

Apertura 2009 – Goles de la 5ª fecha

Compartilhe: Twitter

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 15 de setembro de 2009 Sem categoria | 15:41

Meninos, eu vi

Compartilhe: Twitter
O jovem Delpo nas quadras da Recreativa (Luis Cândido/Alpha Imagem)

O jovem Delpo nas quadras da Recreativa (Luis Cândido/Alpha Imagem)

Cheguei a uma fase da vida na qual os grandes nomes do esporte começam a ser meus contemporâneos – ou até em alguns casos, mais jovens. Reconhecem este garoto? É ele mesmo: Juan Martín Del Potro, o argentino que venceu o Aberto dos Estados Unidos, desbancando ninguém menos que Roger Federer, em cinco sets eletrizantes… Na foto, Delpo está batendo uma bola na Sociedade Recreativa de Esportes, a nossa Recra, em Ribeirão Preto/SP, no ano de 2003.

Eu era “rato” do clube. Passava todas as minhas tardes batendo bola – fosse no paredão, fosse na quadra –, aprontando com os amigos tenistas ou debatendo sobre qual jogador gostaríamos de enfrentar, quais raquetes e roupas usaríamos quando profissionais ou mesmo qual tenista russa cederia aos nossos encantos… Mas o ápice dessas aventuras vespertinas era, com certeza, durante o Banana Bowl.

Imaginem o clube tomado por dezenas de garotos, de todos os cantos do mundo, com suas raqueteiras coloridas – muitas das vezes maiores que os próprios tenistas – de um lado para o outro da Recra. Cena comum em qualquer uma das sete quadras do clube era ver pequenos tenistas torcendo pelos colegas, chorando com as derrotas, vibrando com as passadas, aces ou smashes. Era a nossa Copa Davis (não é mesmo, Paulo Cleto?), misturada com rivalidade do futebol sul-americano: Brasil contra Argentina, Uruguai, Colômbia…

Em 2003, um hermano estava tirando o sono e a paciência dos amigos brasileiros. Era Del Potro. O gringo magrelo e folgado, que jogava de boné virado para trás, foi eliminando um a um até a final contra o brasiliense Raony Carvalho. Na finalíssima, jogada na quadra coberta da Recra (nosso sonho de consumo na época), o brasileiro venceu o primeiro set, no tie-break, por 7/3. No segundo, Delpo reagiu e venceu também no tie-break, por 7/1. Mas no terceiro set, com a torcida a seu favor, Raony ressurgiu. Venceu por 6/4 e levantou o caneco.

Del Potro e Carvalho com os troféus do Banana Bowl 2003 (Luis Cândido/Alpha Imagem)

Del Potro e Carvalho com os troféus do Banana Bowl 2003 (Luis Cândido/Alpha Imagem)

Hoje ninguém mais se lembra de Raony, mas agora chegou a hora de dizer “olha, eu vi Del Potro garoto, começando a carreira”. Misto de emoção e nostalgia, que premia toda uma adolescência, vivida a base de raquetadas e pó de tijolo nas quadras da Recreativa…

Abaixo a chave do torneio (com Thomaz Bellucci saindo na 2ª rodada!):

A chave do torneio

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 14 de setembro de 2009 Sem categoria | 15:50

La Tapa de hoy

Compartilhe: Twitter
Ole 14.09

Ole 14.09

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 9 de setembro de 2009 Sem categoria | 21:55

“¿No nos salva ni D10s?”

Compartilhe: Twitter

Verón expulso aos 7 minutos do segundo tempo (Reuters)
‘La Brujita’ Verón expulso aos 7 minutos do segundo tempo: equipe perdida

Esta é a manchete do diário Olé. A mais dura realidade.

“Temos que seguir lutando. As críticas vão acontecer da porta para dentro.” São essas as palavras de Maradona.

Autor: Tags:

AFA, Seleção | 18:27

Romero; Zanetti, Sebá, Heinze e Papa; Gago, Mascherano, Verón e Dátolo; Messi e Agüero

Compartilhe: Twitter

Verón, que também joga hoje, comemorava em 1997
A Argentina não vence o Paraguai fora de casa há 12 anos; A última foi em 1997, com Verón

Esta é a formação que deve entrar no Defensores del Chaco às 20 horas desta quarta-feira, contra o Paraguai. Nada mais, nada menos que quatro mudanças nos 11 iniciais de Rosário, contra o Brasil. A primeira mudança, a meu ver, injusta e perigosa: sai Andújar e entra Romero.

O camisa 1 anterior de La Selección pouco pôde fazer nos três gols brasileiros, todos originados de falhas na marcação. Além disso, seu substituto é um novato que irá fazer sua primeira partida pela seleção principal. Sergio Romero, revelado pelo Racing, defende atualmente as cores do holandês AZ Alkmaar, tem 22 anos e foi campeão mundial sub-20 em 2007 e medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim, ano passado.

Com relação as outras substituições, mais coerência. A desastrosa defesa está de cara nova: Heinze volta a ser zagueiro de ofício, o desastroso Otamendi é substituido por Papa, que assume a lateral-esquerda. Na meia, Gago entra no lugar de Maxi Rodríguez e Verón assume o lado direito. No ataque, El Kún Agüero, genro de El Pibe, entra no lugar de Carlitos Tevez.

Autor: Tags: , , , , ,

Brasil x Argentina, Sem categoria | 01:03

CQC (argentino) no jogo Argentina 1×3 Brasil

Compartilhe: Twitter

Agora o CQC brasileiro (investigado ontem pelo colega Mauricio Stycer), com Felipe Andreoli:

Autor: Tags: , , , , ,

River Plate | 00:15

Ganó Central ante River: 2-1

Compartilhe: Twitter

Los Millonarios deixam o Gigante de Arroyto

Há três dias, os torcedores que deixavam o Gigante de Arroyto, em Rosário, eram tristes e cabisbaixos. Hoje, boa parte da mesma hinchada teve sua vingança e saiu do estádio vitoriosa, cantando a plenos pulmões. O Rosario Central bateu o River Plate na última partida da terceira rodada do Apertura 2009. Foi a terceira vitória em três jogos do time da casa, que lidera o Apertura ao lado do Vélez, também invicto.

No lado de Los Millonarios, a segunda derrota incomoda. Ainda mais porque o time não vem jogando bem – já havia sofrido para vencer o Chacarita na rodada passada. Nem a estreia de Matías ‘El Pelado’ Almeyda adiantou. O meia veterano (tão veterano que foi trazido diretamente do torneio de masters) até jogou bem, tentou algumas jogadas, mas que não surtiram efeito.

A chapa dos treinadores hermanos está, definitivamente, quente. Néstor Gorosito agora divide com Maradona os sentimentos mais raivosos da torcida (pelo menos, da metade portenha que torce pelo time de Nuñez).

Abaixo os gols da partida e os resultados da Ronda 3 do Apertura 2009:

Apertura 2009 – 3ª rodada
Arsenal 0-0 Racing
San Lorenzo 2-2 Estudiantes
Argentinos 0-0 Lanús
Huracán 0-2 Atlético Tucumán
Independiente 2-0 Godoy Cruz
Boca 1-1 Newell’s
Banfield 1-0 Chacarita
Colón 5-1 Tigre
Gimnasia 0-1 Vélez
Rosario Central 2-1 River

Classificação:
1 Vélez 9 pts
2 Rosario Central 9
3 Estudiantes 7
4 Banfield 7
5 Newell`s 7
6 Independiente 6
7 San Lorenzo 5
8 Boca 5
9 Colón 4
10 Godoy Cruz 4
11 Lanús 4
12 Argentinos 3
13 Atlético Tucumán 3
14 River 3
15 Tigre 3
16 Racing 2
17 Arsenal 1
18 Chacarita 0
19 Huracán 0
20 Gimnasia 0

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 7 de setembro de 2009 AFA, Brasil x Argentina, Maradona, Seleção | 15:07

Ressaca

Compartilhe: Twitter

Nunca Maradona foi tão pequeno (Reuters)

De nada adiantou Maradona exibir um vídeo motivador antes da partida, com imagens fortes de pobreza na Argentina e depoimentos emocionantes de familiares dos jogadores de La Selección. Dentro de campo o time jogava afobado, descompassado, tenso – principalmente de depois de tomar o primeiro baque. Levar o jogo para Rosário, abusar das declarações pré-jogo e o próprio vídeo (até o fato de comemorar tropeços dos adversários diretos) elucidam um pouco esta derrota: a derrota de um time perdido, com um treinador que acredita poder vencer com menos esquema de jogo e mais pirotecnia extra-campo.

Na coletiva de imprensa, vimos um El Pibe abatido, ainda um pouco atordoado pela “sacolada” técnica e moral sofrida há pouco, respondendo as perguntas perdidas dos também atordoados jornalistas hermanos… Agora entendo as repetidas negativas de Zico: “A última coisa que eu quero no mundo é ser técnico do Flamengo.” A expectativa é muito grande… Se Dios não nos salvar, quem é que vai?

Se a ressaca de cachaça boa brasileira já deu essa dor de cabeça, imagine só uísque paraguaio, adversário de quarta-feira da Argentina…

ARGENTINA 1 X 3 BRASIL

Data: 05/07/2009
Local: Estádio Gigante de Arroyito (Rosário-ARG)
Árbitro: Óscar Ruiz (Colômbia)
Gols: Luisão 23′, Luís Fabiano 30′, Dátolo 65′ e Luís Fabiano 67′

ARGENTINA: Andújar; Zanetti, Sebá Dominguez, Otamendi e Heinze; Mascherano, Verón, Dátolo e Máxi Rodríguez (Agüero); Messi e Tevez (Milito). Técnico: Diego Armando Maradona
BRASIL: Júlio César; Maicon, Luisão, Lúcio e André Santos; Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano (Daniel Alves) e Kaká; Robinho (Ramires) e Luís Fabiano (Adriano). Técnico: Dunga

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 3 de setembro de 2009 AFA, Brasil x Argentina, Maradona, Seleção | 14:26

Eles pedem ajuda a Deus

Compartilhe: Twitter

Eles apelam a Deus

Em vez de procurar sua própria igreja (a Igreja Maradoniana – La Mano de D10S) o técnico de la Selección decidiu buscar auxílio espiritual em outra freguesia… No final do ano passado, foi construída uma capela de São Francisco de Assis dentro do novo prédio da Associação de Futebol da Argentina. A obra, aliás, foi monitorada pela Comissão de Damas, liderada pela esposa do presidente da AFA, Julio Grondona.

Atendendo aos pedidos de El Pibe d’Oro, os jogadores e comissão técnica participaram de uma missa realizada na manhã desta quinta-feira. Ao término do culto, a senhora Nélida Pariani de Grondona entregou um rosário e desejou boa sorte aos albicelestes na partida do próximo sábado, diante da Seleção Brasileira.

barra

OS DEZ MANDAMENTOS DA IGREJA MARADONIANA
1 – Amar o futebol acima de todas as coisas
2 – Declarar amor incondicional a Diego e ao futebol
3 – Espalhar os milagres de Diego em todo o universo
4 – Não proclamar Diego em nome de um só clube
5 – A bola não será manchada (sobre problemas extra campo)
6 – Defender a camisa argentina e respeitar as pessoas
7 – Honrar os templos onde jogou e seus mantos sagrados
8 – Predicar os princípios da Igreja Maradoniana
9 – Levar Diego como segundo nome e colocar no filho
10 – “Não ser cabeça de garrafa térmica (não ser mente fechada) e que a tartaruga não fuja (não ser lento)”. (frases famosas de Maradona dentro de um contexto de época).

Autor: Tags: , , , ,

AFA, Brasil x Argentina, Seleção | 09:30

Jogos para a história #03

Compartilhe: Twitter

Metralha, Vampeta, metralha...

Se é 3 x 1 que eles querem, é 3 x 1 que eles terão… Em noite inspiradíssima de Alex e Vampeta (que fuzilou o goleiro no último gol – e a torcida na comemoração da foto), o Brasil venceu bem a Argentina, em noite fria no Morumbi. Foi o jogo em que Luxemburgo se redimiu da derrota para o Paraguai, uma semana antes (e no qual deu um recadinho sutil para os cinegrafistas desastrados). O gol da metralhadora é o último do vídeo abaixo.

Brasil 3 x 1 Argentina

Eliminatórias da Copa de 2002 – 6ª rodada
Data: 26/07/2000
Local: Morumbi (São Paulo/SP)
Público pagante: 80.000
Árbitro: Gustavo Méndez (Uruguai)
Gols: Alex 5′, Vampeta 44′, Vampeta 50′ e Matias Almeyda 45′.

Brasil: Dida; Evanílson, Antônio Carlos, Roque Júnior e Roberto Carlos; Emerson, Vampeta, Zé Roberto (Marques) e Alex (césar Sampaio); Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Argentina: Bonano; Ayala, Sensini, Samuel e Zanetti (Almeyda); Verón, Ortega (Gustavo López), Kily González (Sorín) e Simeone; Claudio López e Crespo. Técnico: Marcelo Bielsa.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última